Bebida indígena da América do Sul pode tratar depressão, segundo estudo

Pesquisas ainda são iniciais, mas médicos acreditam no efeito da substância

Bebida alucinógena utilizada em rituais religiosos na América Latina pode tratar depressão, diz estudo
Bebida alucinógena utilizada em rituais religiosos na América Latina pode tratar depressão, diz estudo Jairo Galvis Henao/Creative Commons

Cientistas biomédicos que estudaram as propriedades da ayahuasca, bebida utilizada em cerimonias ritualísticas na América Latina, afirmam que ela pode tratar a depressão, de acordo com estudo da USP (Universidade de São Paulo), publicado na revista Scientific American.

A bebida é preparada com a casca de um cipó da floresta (Banisteriopsis caapi) e as folhas de um arbusto (Psychotria viridis), E está atraindo a atenção de cientistas biomédicos como um possível tratamento para depressão.

Apesar de o estudo ter sido feito com apenas seis voluntários, os médicos afirmam que a ayahuasca começou a fazer efeito em apenas algumas horas e seu efeito se manteve por até três semanas.

 

Tristeza com pensamentos negativos pode ser sinal de depressão

O trabalho faz parte de uma volta à realização de estudos envolvendo os potenciais benefícios terapêuticos de alucinógenos, mais conhecidos como drogas recreativas. Há meio século, essas pesquisas eram proibidas em todo o mundo, por envolverem substâncias ilegais.

Ainda assim, uma próspera indústria de ayahuasca se desenvolveu na América do Sul, onde seu uso religioso é permitido. Todos os anos, milhares de pessoas vão para “retiros” na floresta tropical a fim de experimentar seus intensos efeitos psicodélicos.

Jaime Hallak, neurocientista responsável pelo estudo, afirma que todos os voluntários tinham sintomas leves de depressão e nenhum remédio convencional fazia efeito. Além disso, nenhum dos voluntários havia ingerido ayahuasca anteriormente. Depois de tomar a bebida, os participantes ficaram sentados em uma sala silenciosa, com pouca luz.

— Para monitorar seus sintomas de depressão, foram utilizados questionários clínicos padrão. Sinais de melhora foram observados dentro de duas ou três horas, embora os efeitos psicodélicos de uma dose possam levar cerca de cinco horas para desaparecer.

Dieta muito gordurosa pode levar à depressão, diz estudo

De acordo com Hallak, esse efeito foi considerado muito rápido, já que antidepressivos convencionais podem levar semanas para produzir algum resultado. O neurocientista também disse que três dos participantes vomitaram, mas ressaltou que isso é um efeito colateral do remédio.

Brian Anderson, psiquiatra da Universidade da Califórnia, nos Estados Unidos, afirma que a pesquisa precisa ser feita com mais pessoas para que haja a comprovação empírica dos benefícios da substãncia.

— Isso é uma prova de conceito do que tantos usuários de ayahuasca ritualística já sabem: o preparado pode ajudar uma pessoa a se sentir extremamente bem, não apenas durante a experiência, mas até dias ou semanas depois.