Saúde Cientistas descobrem bactérias boas que podem aliviar mau hálito

Cientistas descobrem bactérias boas que podem aliviar mau hálito

Autores de estudo dizem que elas ajudam a inibir a decomposição de aminoácidos e proteínas por bactérias anaeróbicas na boca, o que reduz a produção de subprodutos malcheirosos

  • Saúde | Do R7

Mau hálito é causado, principalmente, por falta de higiene oral adequada

Mau hálito é causado, principalmente, por falta de higiene oral adequada

Freepik

Estudos estimam que cerca de 30% da população adulta sofra de halitose, uma condição que provoca, além de mau hálito, um desconforto social enorme para o indivíduo e para quem convive com ele. 

A halitose pode ser causada por diversas razões, como doenças gengivais ou periodontais, tabagismo e consumo de alimentos. Os compostos sulfúricos voláteis provocam esse mau hálito persistente.

Eles são produzidos por bactérias bucais como resultado da mistura delas com restos de alimentos, associadas à má higiene dental e gengival.

Atualmente, as opções para reverter esses quadros incluem o uso de enxaguantes bucais, raspagem de língua e toda uma rotina que envolva uma melhora da higiene oral.

Embora essa seja a regra, cientistas descobriram uma série de bactérias boas que podem se tornar aliadas para combater o mau hálito.

Essas bactérias probióticas estão presentes em alimentos fermentados, como iogurte, pão de fermento e sopa de missô. No entanto, o uso contra a halitose deveria ser em formato de suplemento.

Em um artigo publicado no último dia 20, pesquisadores listam as bactérias Lactobacillus salivarius, Lactobacillus reuteri, Streptococcus salivarius, Weissella cibaria como potenciais ajudantes para refrescar o hálito.

O grupo analisou uma série de estudos sobre o tema publicados até fevereiro de 2021. Eles usaram uma escala que mede o odor do hálito a várias distâncias da boca.

Também foram incluídos dados de pesquisas que mediam a saburra lingual (placa branca) e a própria placa bacteriana na boca, porque a língua suja e o acúmulo de tártaro também são considerados causas do mau hálito.

Os indivíduos do estudo que receberam os probióticos tiveram uma redução das pontuações de mau hálito quando comparados aos que não receberam.

Entretanto, não houve alterações positivas na saburra lingual nem na placa bacteriana.

Segundo o artigo, essas boas bactérias ajudam a inibir a decomposição de aminoácidos e proteínas por bactérias anaeróbicas na boca, o que reduz a produção de subprodutos malcheirosos.

Os autores, todavia, dizem que mais estudos, com grupos maiores, são necessários para comprovar a eficácia dos probióticos na atenuação da halitose.

Descubra se você tem mau hálito e por que quem tem não sente

Últimas