Saúde Cientistas europeus confirmam poucas mutações do vírus do ebola

Cientistas europeus confirmam poucas mutações do vírus do ebola

Bruxelas, 18 jun (EFE).- Cientistas do projeto financiado pela União Europeia "Evident" revelaram nesta quinta-feira que as mutações do vírus do ebola desde sua explosão em março de 2014 foram "menos do que o esperado". As conclusões, que foram publicadas na revista "Nature", foram possíveis graças ao projeto financiado com 1,7 milhões de euros pela UE sobre a evolução genética do ebola. O projeto "Evident" faz parte da plataforma de laboratórios móveis europeus "EMLab", que foram os primeiros a se desdobrar na Guiné após o surto de ebola. "Na luta contra as doenças infecciosas, devemos conhecer nosso inimigo. Os tratamentos efetivos só podem ser desenhados se soubermos exatamente como é a mutação do vírus", disse o comissário europeu de Pesquisa e Ciência, Carlos Moedas. "O projeto Evident permite dar um enorme passo adiante na luta contra o ebola. É preciso investir ao máximo para lutar contra as epidemias", acrescentou. O vírus do ebola tirou a vida de mais de 11 mil pessoas desde março de 2014, quando surgiu um surto no leste do continente africano. EFE lmi/ff