Confirmadas mais 2 mortes ligadas ao cigarro eletrônico, totalizando 16

Vítimas eram dos Estados de Virgínia e Nova Jersey, nos Estados Unidos; lesões pulmonares que levaram à morte estão associadas ao uso de THC

Mais duas mortes relacionadas a vaping elevam o total dos EUA para 16

O cigarro eletrônico é proibido no Brasil, mas é vendido ilegalmente na internet

O cigarro eletrônico é proibido no Brasil, mas é vendido ilegalmente na internet

Reprodução

O cigarro eletrônico fez mais duas vítimas nos Estados Unidos, totalizando 16 mortes relacionadas ao dispositivo, segundo a rede de TV norte-americana CNN. 

As mortes ocorreram em Virgínia e Nova Jersey. As lesões pulmonares que levaram à morte estão associadas ao uso de THC no cigarro eletrônico. O THC é o composto psicoativo da maconha.

Leia também: Fumar cigarro eletrônico por 10 minutos equivale a mais de 1 maço

As outras 14 mortes foram registradas nos Estados da Califórnia (2), Kansas (2), Oregon (2) Illinois (1), Indiana (1), Minnesota (1), Missouri (1), Flórida (1), Geórgia (1), Mississippi (1) e Nebraska (1).

Os cigarros eletrônicos funcionam aquecendo um líquido que produz aerossol que os usuários inalam, chegando aos pulmões, de acordo com explicação do Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC) dos Estados Unidos.

Saiba mais: 'Cigarro eletrônico agravou meu quadro de saúde', diz publicitário

Esse líquido pode conter óleos de nicotina, tetra-hidrocanabinol (THC) e canabinóide (CBD) e outras substâncias e aditivos, ainda segundo o órgão.

Segundo o CDC, há 805 casos prováveis de lesão pulmonar associada ao uso de cigarros eletrônicos em 46 Estados norte-americanos e nas Ilhas Virgens Americanas.

Cigarro e álcool são fatores de risco para câncer cerebral. Saiba mais: