Saúde Covid-19: Saiba qual principal risco de contaminação durante o voto

Covid-19: Saiba qual principal risco de contaminação durante o voto

Médico recomenda que preste atenção para que não ponha mão na boca, nariz e olhos após usar teclado da urna nas eleições deste domingo

Teclado da urna eletrônica é um dos pontos com maior risco de contaminação

Teclado da urna eletrônica é um dos pontos com maior risco de contaminação

Wellington Carvalho/Futura Press/Folhapress - 10.11.2020

Objetos compartilhados, como o teclado da urna eletrônica, e proximidade das pessoas são os principais pontos que merecem atenção no momento da votação nas eleições municipais que serão realizadas neste domingo (15), segundo o pediatra Renato Kfouri, diretor da SBIm (Sociedade Brasileira de Imunizações).

Ele orienta a ficar atento a não colocar a mão que utilizou para teclar na urna eletrônica na boca, no nariz ou nos olhos até conseguir higienizá-la com álcool gel ou lavá-la com água e sabão. "Qualquer objeto compartilhado como caneta, urna de votação ou carteira de identidade que passe de mão em mão apresenta risco de contaminação", ressalta. 

Leia também: 7 coisas que o Brasil deveria fazer para controlar segunda onda de covid-19

De acordo com o protocolo de segurança divulgado pelo TSE (Tribunal Superior Eleitoral), elaborado pela Fiocruz (Fundação Oswaldo Cruz) e hospitais Sírio-Libanês e Albert Einstein, em São Paulo, a carteira de identidade não precisará ser entregue ao mesário, apenas apresentada para que ele a visualize, e recomenda-se que cada um leve a própria caneta para assinar o comprovante de voto. 

Ainda segundo esse Plano de Segurança Sanitária para as Eleições Municipais de 2020, os eleitores devem manter o distanciamento de pelo menos 1 metro na fila, o que nem sempre é respeitado, e usar máscara. Não serão usados termômetros para medir a temperatura na entrada dos locais de votação.

"Seja nas eleições, no restaurante, na academia ou no shopping deve-se seguir o princípio que impede a transmissão da covid-19. Como se trata de uma doença respiratória, cuja transmissão se dá ao falar, tossir, espirrar ou por objetos contaminados, os princípios de distanciamento de pelo menos 1,5 m, uso de máscara e higienização das mãos têm que ser respeitados na eleição", afirma. "Não há nenhum problema se tomar esses cuidados", completa.

Evitar aglomeração também é fundamental para garantir a segurança, destaca o médico. "Procure ir em horários mais vazios", recomenda. 

Ela ressalta que os mesários tomem os mesmos cuidados que caixas de supermercados e enfermeiros, que "têm contato com muito público". "É necessário cuidado redobrado porque a chance de contaminação aumenta com a exposição a um grande número de pessoas", afirma.  

Para evitar aglomeração, o horário de votação foi ampliado em uma hora, começando às 7h e encerrando às 17h. Antes das 10h, a prioridade é para grupos de risco, principalmente idosos, mas os demais eleitores não estão proibidos de votar neste horário. É recomendável que crianças e acompanhantes não compareçam ao local de votação.

Últimas