Saúde EUA autorizam pílula anti-Covid da Pfizer para uso em casa

EUA autorizam pílula anti-Covid da Pfizer para uso em casa

Dados do estudo divulgado pela empresa mostraram eficácia de 90% na prevenção de hospitalizações e mortes

Reuters
Agência reguladora dos Estados Unidos autorizou utilização de pílula antiviral

Agência reguladora dos Estados Unidos autorizou utilização de pílula antiviral

Pfizer via Reuters

A Pfizer informou nesta quarta-feira que a FDA (Agência de Alimentos e Medicamentos dos Estados Unidos) autorizou sua pílula antiviral para Covid-19, tornando-a o primeiro tratamento caseiro contra o coronavírus, com a expectativa de se tornar uma importante ferramenta no combate à rápida disseminação da variante Ômicron.

Dados do ensaio clínico da Pfizer mostraram que seu regime antiviral com duas drogas foi 90% eficaz na prevenção de hospitalizações e mortes em pacientes com alto risco de contrair a forma grave da doença. Dados laboratoriais recentes sugerem que a droga mantém sua eficácia contra a Ômicron.

A agência autorizou o medicamento oral para o tratamento de pacientes adultos do grupo de alto risco e pacientes pediátricos com pelo menos 12 anos de idade com Covid-19 fora do hospital.

A empresa disse estar pronta para começar a entrega imediata nos EUA e elevou suas projeções de produção de 80 para 120 milhões de esquemas de tratamento em 2022.

O contrato do governo norte-americano para compra de 10 milhões de esquemas do medicamento da Pfizer custa 530 dólares por tratamento.

Os comprimidos da Pfizer, tomados com o medicamento antiviral mais antigo, ritonavir, serão vendidos sob a marca Paxlovid. Os comprimidos devem ser ingeridos a cada 12 horas durante cinco dias, logo após o início dos sintomas.

A Pfizer disse que planeja registrar um novo pedido de uso do medicamento junto à FDA em 2022 para uma possível aprovação regulatória completa.

Últimas