Saúde Fatores de risco para demência mudam de acordo com a idade; saiba quais são os mais comuns

Fatores de risco para demência mudam de acordo com a idade; saiba quais são os mais comuns

AVC, diabetes e pressão alta estão entre as condições que mais podem impactar nas chances de desenvolver quadros demenciais

Doenças cardiovasculares são conhecidas por aumentar chances de ter demência

Doenças cardiovasculares são conhecidas por aumentar chances de ter demência

Freepik

Um estudo publicado na revista científica Neurology, da Academia Americana de Neurologia, na quarta-feira (18), lista os fatores de risco vasculares que mais estão associados com o desenvolvimento de demência. Os pesquisadores descobriram que eles podem variar de acordo com a idade.

Em indivíduos com 55 anos, o risco de desenvolver demência nos dez anos seguintes foi maior entre os que tinham diabetes e pressão alta. Este grupo apresentou quatro vezes mais chances de ter a doença do que pessoas não diabéticas da mesma idade.

Na faixa de 65 anos, as doenças cardíacas foram mais associadas à demência (duas vezes mais chances), enquanto no grupo de 70 anos, pesou mais diabetes e acidente vascular cerebral (40% a 60% mais chances) .

Nos maiores de 80 anos, o risco foi maior nos que tinham histórico de diabetes e acidente vascular cerebral.

“Essas descobertas podem nos ajudar a prever com mais precisão o risco futuro de uma pessoa desenvolver demência e fazer recomendações individualizadas sobre mudanças no estilo de vida e controle de fatores de risco para ajudar a reduzir o risco de demência mais tarde”, disse em comunicado o autor do estudo, Emer R. McGrath.

A equipe dele analisou informações de um banco de dados de saúde dos moradores de Framingham, Massachusetts (EUA).

O fato de todos os participantes do estudo serem brancos é apontado como uma limitação, já que não se pôde analisar diferenças étnicas que poderiam impactar nos fatores de risco.

O autor do estudo defende o uso de um esquema de pontuação para estabelecer o risco individual com base nas doenças que mais criam predisposição à demência.

“A demência é uma doença complicada e as pontuações de previsão de risco precisam ser adaptadas ao indivíduo. Nossas descobertas apoiam o uso de pontuações de previsão de risco específicas para a idade para demência, em vez de uma abordagem de tamanho único”, completou McGrath.

A Alzheimer's Association explica como doenças cardiovasculares impactam no risco de demência. 

"O cérebro obtém do sangue o oxigênio e nutrientes necessários para o seu funcionamento normal, e o coração é o responsável por bombear o sangue para o cérebro. Portanto, fatores que causam doenças cardiovasculares também podem estar relacionados a maior risco de desenvolvimento de Alzheimer e outras demências, como fumo, obesidade, diabetes, colesterol alto e pressão sanguínea alta na meia-idade."

Últimas