Saúde Formol encontrado em leite pode provocar desconforto abdominal e alergias, alerta especialista

Formol encontrado em leite pode provocar desconforto abdominal e alergias, alerta especialista

Substância foi encontrada em leite no RS; MP prendeu oito suspeitos de fraude no Estado

Formol encontrado em leite pode provocar desconforto abdominal e alergias, alerta especialista

Quem ingerir leite ou qualquer outro alimento contaminado com formol poderá ter desconforto abdominal, alergias e, até mesmo, provocar a morte, caso a substância seja consumida em grandes quantidades, alerta a nutricionista Cintia Roman Monteiro, professora do Centro Universitário São Camilo.

— O formol pode alterar a flora bacteriana intestinal, responsável pelo processo de digestão e absorção dos nutrientes.

Nesta terça-feira (8), uma operação do Ministério Público do Rio Grande do Sul prendeu oito pessoas suspeitas de adulterar a composição do leite para supostamente lucrarem a mais com a venda do produto.

Leite ajuda a emagrecer, mas pode provocar enxaqueca, dizem especialistas

De acordo com a especialista, após o consumo de algum alimento que apresente o formol, a pessoa deve procurar por ajuda médica o mais rápido possível.

— O especialista irá indicar um tratamento medicamentoso de acordo com sintoma apresentado pelo paciente.

A operação

Cinco empresas foram investigadas por transportarem aproximadamente 100 milhões de litros de leite entre abril de 2012 e maio de 2013. Desse montante, estima-se que 1 milhão de quilos de ureia contendo formol tenham sido adicionados. Amostras coletadas no decorrer da investigação em supermercados de Porto Alegre apontaram fraude em 14 lotes de leite UHT. Oito pessoas foram presas suspeitas de participarem da ação.

A fraude foi comprovada após análises químicas do leite cru, nas quais foi possível identificar a presença do formol, que mesmo depois dos processos de pasteurização, persiste no produto final. Com o aumento do volume do leite transportado, os "leiteiros" lucravam 10% a mais que os 7% já pagos sobre o preço do leite, em média R$ 0,95 por litro.

A simples adição de água, com o objetivo de aumentar o volume, acarreta perda nutricional, que é compensada pela adição da ureia — produto que contém formol em sua composição — e é considerado cancerígeno pela Agência Internacional para Pesquisa sobre Câncer e pela OMS (Organização Mundial de Saúde).