Saúde Mais da metade dos jovens têm alimentação inadequada no país

Mais da metade dos jovens têm alimentação inadequada no país

Nesta terça (16), Dia Mundial da Alimentação, Ministério da Saúde divulga que 55% dos adolescentes apresentam maus hábitos alimentares; região Sul lidera

Mais da metade dos jovens têm alimentação inadequada

Cerca de 42% dos jovens tem o hábito de comer hambúrguer e embutidos

Cerca de 42% dos jovens tem o hábito de comer hambúrguer e embutidos

Pixabay

Cerca de 55% dos adolescentes se alimentam mal. Isso significa que estão comendo produtos industrializados, como macarrão instantâneo, salgadinhos e bolachas recheadas acima do estipulado para uma dieta saudável.

Leia também: Alimentação pode ajudar no tratamento contra o câncer

Os dados, do Sistema de Vigilância Alimentar e Nutricional (SISVAN), foram divulgados nesta terça-feira (16), Dia Mundial da Alimentação, e utilizam como parâmetro adolescentes acompanhados pelos serviços de atenção básica do Sistema Único de Saúde (SUS).

O levantamento mostra que 42% desses jovens costumam comer hambúrguer e/ou embutidos e 43% biscoitos recheados, doces e guloseimas.

Há também um recorte por região. A pesquisa revela que jovens da região Sul são os que mais consomem macarrão instantâneo, hambúrguer e embutidos, ou seja, 54%. São também os que mais comem salgadinhos, 59%.

A região com o menor percentual nesses dois grupos de alimentos é a Norte, com 33% e 47%, respectivamente.

Saiba mais: Consumo de frutas cítricas ajuda a prevenir a endometriose

Já em relação às bolachas recheadas e guloseimas, a região Sul também está na frente (46%), mas empatada com a Nordeste (46%).

O estudo demonstra que meninos se alimentam ligeiramente pior que meninas. Cerca de 58% dos meninos e 54% das meninas consomem produtos industrializados.

Fast food também apresenta maior preferência entre os meninos (41%) do que entre meninas (38%); e bolachas recheadas também, sendo a predileção de 42% das meninas e 41% dos meninos.

O Ministério da Saúde afirma que os maus hábitos à mesa se reflete na saúde e no excesso de peso dos adolescentes. Segundo a Pesquisa Nacional de Saúde do Escolar (PENSE), 7,8% dos adolescentes das escolas entre 13 e 17 anos estão obesos, sendo a incidência de 8,3% em meninos e 7,3% em meninas.

De acordo com o Sisvan, 8,2% dos adolescentes (10 a 19 anos) atendidos na atenção básica no ano passado são obesos.

“Dados revelam que adolescentes com obesidade aos 19 anos têm 89% de chance de ser obeso aos 35 anos, por isso é necessário investir na promoção de uma alimentação adequada e saudável, especialmente na infância e na adolescência, tendo em vista a relação de práticas alimentares inadequadas com o aumento da obesidade na população”, afirmou Eduardo Nilson, coordenador-substituto de Alimentação e Nutrição do Ministério da Saúde, por meio de nota.

Veja também: Alimentação correta ajuda a melhorar processo de envelhecimento

Se por um lado os adolescentes apresentam mau hábitos alimentares, os adultos brasileiros já estão demonstrando mudança em relação à dieta, de acordo com a Pesquisa de Vigilância de Fatores de Risco e Proteção para Doenças crônicas por Inquérito Telefônico (Vigitel), de 2017.

O levantamento mostrou um aumento no consumo regular de frutas e hortaliças de 4,8% (de 2008 a 2017), e queda do uso de refrigerantes e bebidas açucaradas de 52,8% (de 2007 a 2017).

Pães podem ser os vilões da dieta, afirmam nutricionistas: