Saúde México detecta cepa grave de gripe aviária em fazenda perto de fronteira com os EUA

México detecta cepa grave de gripe aviária em fazenda perto de fronteira com os EUA

Rápida disseminação do vírus da influenza aviária H5N1também preocupa especialistas, que temem a capacidade do vírus de infectar humanos

  • Saúde | Do R7, com Reuters

Resumindo a Notícia

  • México detecta cepa grave de gripe aviária em fazenda próxima aos EUA
  • Disseminação do vírus da influenza aviária H5N1 preocupa especialistas
  • Descoberta ocorre após México relatar primeiro caso de influenza aviária H5N1
  • Gripe aviária altamente patogênica matou aves nos Estados Unidos e na Europa
México detecta cepa grave da gripe aviária em fazendo próxima aos EUA

México detecta cepa grave da gripe aviária em fazendo próxima aos EUA

REUTERS/James Akena - 31.10.2022

O México detectou a grave cepa H5N1, da gripe aviária, em uma fazenda comercial de 60 mil aves no Estado de Nuevo León, na fronteira com os Estados Unidos, informou o governo no domingo (30).

A descoberta na granja ocorre pouco mais de uma semana depois que o México relatou seu primeiro caso de influenza aviária H5N1, ou gripe aviária, à Organização Mundial de Saúde Animal (WOAH, na sigla em inglês), com sede em Paris.

O caso em questão foi detectado em uma ave selvagem no distrito de Metepec, a oeste da capital Cidade do México.

A doença foi detectada quando o serviço de saúde agroalimentar do México testou amostras de uma fazenda em Montemorelos, Nuevo León, depois que um produtor local levantou preocupações, disse o Ministério da Agricultura do país em comunicado.

Uma quarentena foi declarada e um número não especificado de aves será sacrificado para controlar o surto, disse o ministério, sem detalhar quantas aves foram infectadas.

Outro caso de H5N1 foi encontrado em uma ave selvagem em Tijuana, no Estado de Baja California, disse o Ministério da Agricultura mexicano, bem como em uma fazenda familiar de 186 galinhas em Chiapas, no sul do país.

A gripe aviária altamente patogênica matou aves nos Estados Unidos e na Europa, com especialistas preocupados que o vírus não tenha diminuído este ano, como ocorreu anteriormente durante o verão do hemisfério Norte.

Vale ressaltar que um texto assinado pelos cientistas Michelle Wille (Universidade de Sydney, Austrália) e Ian G. Barr (Instituto Peter Doherty para Infecção e Imunidade/Universidade de Melbourne, Austrália), demonstrou preocupação com os surtos. 

"A onda em curso de 2021-2022 da gripe aviária H5N1 é sem precedentes em sua rápida disseminação e frequência extremamente alta de surtos em aves e aves selvagens, e é uma ameaça potencial contínua aos seres humanos", destacam os cientistas.

E acrescentam: "Talvez o mais preocupante seja a capacidade do vírus de infectar humanos. Embora as infecções de aves para humanos tenham sido raras nas últimas duas décadas, e a transmissão sustentada de humano para humano ainda não tenha sido documentada, os vírus da gripe aviária altamente patogênicos representam um potencial risco pandêmico."

Veja os sete cuidados com a saúde do adolescente que merecem atenção especial dos pais

Últimas