Saúde Nelson Teich demite 13 servidores do Ministério da Saúde

Nelson Teich demite 13 servidores do Ministério da Saúde

Nomes exonerados atuavam em áreas estratégicas da pasta, como as Secretarias de Atenção Primária à Saúde e de Vigilância em Saúde

Agência Estado - Política
Algumas mudanças foram feitas a pedido dos servidores

Algumas mudanças foram feitas a pedido dos servidores

Wallace Martins/Futura Press/Estadão Conteúdo - 22.4.2020

O ministro da Saúde, Nelson Teich, exonerou 13 servidores da pasta nesta quinta-feira (7). As trocas já estavam previstas desde a saída de Luiz Henrique Mandetta (DEM) do cargo de ministro, em 16 de abril, e algumas mudanças foram feitas a pedido dos servidores.

As mudanças esvaziam áreas estratégicas, como a Saps (Secretaria de Atenção Primária à Saúde), que trata da gestão de postos de saúde, ambulatórios e atendimentos de "saúde da família", e a SVS (Secretaria de Vigilância em Saúde), responsável pela elaboração de diretrizes do governo federal sobre a resposta à covid-19, incluindo medidas de isolamento social.

Leia mais: Brasil tem 9.146 mortes e 135.106 casos confirmados da covid-19

Foram exonerados da SVS Sônia Maria Feitosa Brito e Rodrigo Lins Frutuoso. Eles atuavam na pasta há mais de uma década e faziam parte da equipe de Wanderson Oliveira, secretário Nacional de Vigilância em Saúde.

As demissões foram pedidas pelos próprios servidores. Oliveira também chegou a pedir para sair do governo nos últimos dias da gestão Mandetta, mas segue no órgão por solicitação de Teich.

Entre os exonerados nesta quinta, seis nomes atuavam na Saps. A pasta está sem secretário titular desde 30 de abril, quando o médico Erno Harzheim foi exonerado. Ele entrou no governo Jair Bolsonaro por indicação do médico João Gabbardo, que também deixou a pasta após a saída de Mandetta.

Últimas