Saúde Norte é região com maior redução de mortes por covid-19 no Brasil

Norte é região com maior redução de mortes por covid-19 no Brasil

De acordo com o governo, entre as 27ª e 28ª semanas epidemiológicas, houve queda de 20% nos óbitos provocados pela doença sistêmica

  • Saúde | Do R7

Região vem registrando queda nos indicadores da pandemia de covid-19

Região vem registrando queda nos indicadores da pandemia de covid-19

Bruno Kelly/Reuters

O Norte registrou a maior redução no número de novas mortes por covid-19 no Brasil. Os dados foram divulgados por técnicos do Ministério da Saúde, nesta quarta-feira (15), por meio de informações disponibilizados no Boletim Epidemiológico Nº 22. A região apresentou a maior retração em todo o País.

De acordo com a pasta, entre as 27ª e 28ª semanas epidemiológicas, houve redução de 20% nos óbitos e 9% em novas casos da doença sistêmica provocada pelo novo coronavírus. Arnaldo Correia de Medeiros, secretário de Vigilância em Saúde, destacou, no entanto, que o Sul e o Centro-Oeste enfrentam situação diferente. 

“Nós estamos vivendo e aprendendo a cada semana o comportamento dessa doença. Como nós falamos anteriormente, o nosso país é um país continental. Temos diferenças sazonais bastante importantes, que não afetam apenas a covid-19, mas outras doenças que também se afetam por essas diferenças sazonais", completou.

Pandemia do novo coronavírus no Brasil

O Brasil ultrapassou a marca de 75 mil mortes por covid-19, doença provocada pelo novo coronavírus, cerca de quatro meses após o primeiro registro oficial. De acordo com balanço divulgado pelo Ministério da Saúde, foram notificadas 1.233 vítimas nas últimas 24 horas. Com isso, o total foi para 75.366.

O País, que é segundo em número de mortes em todo o mundo, tem mais que o dobro de óbitos da Índia (592.032) —terceiro no ranking—, segundo dados do mapa da pandemia da Universidade Johns Hopkins, nos Estados Unidos.

As secretarias estaduais de saúde também confirmaram 39.924 novos casos da infecção, entre ontem e hoje. Com os dados, o Brasil atingiu 1.966.748 pessoas diagnosticadas com a doença desde o início da crise sanitária.

Últimas