Coronavírus

Saúde OMS adverte que casos globais de Covid-19 dobraram em menos de dois meses

OMS adverte que casos globais de Covid-19 dobraram em menos de dois meses

Diretor-geral da organização diz que o aumento pode provocar mais hospitalizações e mortes nas próximas semanas

Agência EFE

Resumindo a Notícia

  • Casos passaram de 3 milhões semanais para 6 milhões
  • Maioria das infecções atuais parece pertencer à sublinhagem BA.5
  • Diretor-geral afirma que vírus seguirá evoluindo
  • Países continuarão vivendo ondas de infecções
Diretor-geral da OMS revela que países continuarão vivendo ondas de infecção por coronavírus

Diretor-geral da OMS revela que países continuarão vivendo ondas de infecção por coronavírus

Freepik

Os casos globais de Covid-19 dobraram nas últimas seis semanas (um mês e meio), passando de cerca de 3 milhões semanais para 6 milhões, advertiu nesta quarta-feira (20) o diretor-geral da OMS (Organização Mundial da Saúde), Tedros Adhanom Ghebreyesus.

"Um aumento de casos significa que pode haver mais hospitalizações e mortes nas próximas semanas", afirmou Tedros em entrevista coletiva. O diretor também disse que a maioria das infecções atuais parece pertencer à sublinhagem BA.5 da variante Ômicron, "de longe a mais contagiosa já conhecida".

Segundo o diretor da OMS, o vírus “continuará evoluindo, e devemos estar preparados para o que ele trouxer”, razão pela qual voltou a insistir na necessidade de não flexibilização da resposta contra a pandemia.

"Alguns países já desmantelaram partes de seu plano de resposta e, com isso, estão assumindo grandes riscos", disse.

Tedros ressaltou que "agora é o momento, quando os hospitais ainda não estão saturados, de abordar as carências no acompanhamento, imunização, profissionais da saúde e resiliência".

"Continuaremos a ver ondas de infecções, mas não queremos que também se transformem em ondas de hospitalizações e mortes", disse o diretor-geral da OMS, que persistiu na necessidade de vacinar os profissionais da saúde e idosos em todos os países. 

Covid: lesões em pés e mãos podem ser resposta do sistema imune

Últimas