Coronavírus

Saúde OMS mantém emergência internacional da Covid, mesmo com diminuição de mortes

OMS mantém emergência internacional da Covid, mesmo com diminuição de mortes

Surgimento de novas variantes e redução na vigilância genômica são determinantes para a organização não mudar status da pandemia

Agência EFE
Comitê da OMS se reuniu na última semana para avaliar estado de emergência

Comitê da OMS se reuniu na última semana para avaliar estado de emergência

Pierre Albouy/Reuters

A OMS (Organização Mundial da Saúde) manteve nesta terça-feira (12) a emergência internacional para a pandemia de Covid-19, em vigor desde janeiro de 2020, mesmo com o declínio contínuo das mortes por essa doença.

O Comitê de Emergência da OMS para a pandemia, que se reúne a cada três meses e no último dia 8 o fez pela 12ª vez, concluiu que a crise sanitária "continua sendo um evento extraordinário que ainda está impactando negativamente a saúde global", disse a própria entidade em comunicado.

O comitê advertiu que o declínio nos testes em muitos países, devido à proliferação de casos leves, está afetando a capacidade dos especialistas de analisar a evolução do coronavírus, embora "o surgimento e a propagação de novas variantes possam ter impactos ainda mais graves sobre a saúde do que atualmente".

Os especialistas do comitê, presidido pelo médico francês Didier Houssin, lamentaram "a redução da cobertura e da qualidade da vigilância", o que resulta, entre outros aspectos, no envio de menos sequências genômicas de casos de Covid.

"Isso torna impossível avaliar quais variantes do vírus estão circulando, o que significa menos capacidade de interpretar as tendências de transmissão e de ajustar as medidas de saúde pública", diz o texto.

Mesmo com este controle reduzido, foi relatado um aumento de 30% nos casos de Covid em todo o mundo nas últimas duas semanas, principalmente devido às subvariantes BA.4 e BA.5 da variante Ômicron, segundo o comitê, que destacou que a dinâmica da Covid permanece "imprevisível". 

Olhar e sentir o cheiro de comida gostosa já pode aumentar o risco de diabetes; entenda

Últimas