Saúde OMS quer fim da meningite até 2030, doença mata 250 mil por ano

OMS quer fim da meningite até 2030, doença mata 250 mil por ano

Estratégia da Organização Mundial da Saúde pretende reduzir em 70% mortes e em 50% número de casos do tipo bacteriana

AFP
  • Saúde | por AFP

Tedros Adhanom diz que ampliar vacina é melhor jeito de acabar com meningite

Tedros Adhanom diz que ampliar vacina é melhor jeito de acabar com meningite

Laurent Gillieron/Pool via REUTERS - 24.5.2021

A OMS (Organização Mundial da Saúde) divulgou, nesta terça-feira (28), a primeira estratégia global contra a meningite, com o objetivo de eliminar até 2030 as epidemias da doença tipo bacteriana que causam a morte de cerca de 250 mil pessoas no mundo por ano.

Para isso, a OMS, em colaboração com seus parceiros, desenvolveu um roteiro global com o objetivo de eliminar epidemias de meningite bacteriana – a forma mais mortal da doença – bem como reduzir as mortes em 70% e reduzir pela metade o número de casos até 2030.

Isso poderia salvar mais de 200 mil vidas por ano e reduzir drasticamente a carga de incapacidade que vem com a doença.

A meningite é uma inflamação perigosa das membranas ao redor do cérebro e da medula espinhal, causada principalmente por uma infecção bacteriana ou viral.

"Onde quer que ocorra, a meningite pode ser mortal e debilitante; ele se desenvolve rapidamente, tem sérias consequências para a saúde, a economia e a sociedade e causa surtos epidêmicos devastadores", disse Tedros Adhanom Ghebreyesus em um comunicado.

"É hora de acabar com a meningite em todo o mundo. Para isso, é urgente ampliar o acesso aos instrumentos existentes, em particular as vacinas; realizar novas pesquisas e inovações para prevenir, detectar e tratar as diferentes causas da doença; e melhorar os serviços de reabilitação", acrescentou.

O roteiro é resultado da primeira resolução sobre meningite adotada pelos países membros da OMS em 2020, que convocou o diretor-geral da organização a colocar a doença "no topo das prioridades globais de saúde pública".

A meningite bacteriana mata uma em cada dez pessoas infectadas – a maioria crianças e jovens – e uma em cada cinco sofre de uma deficiência de longo prazo (incluindo perda auditiva ou visual e distúrbios cognitivos).

Nos últimos dez anos, as epidemias de meningite afetaram todas as regiões do mundo, mas principalmente o "cinturão da meningite", que abrange 26 países da África subsaariana.

As epidemias de meningite são imprevisíveis e perturbam maciçamente comunidades e sistemas de saúde, ressalta a OMS. Várias vacinas protegem contra meningite, incluindo vacinas meningocócicas, vacina haemophilus influenzae tipo b e vacina pneumocócica.

No entanto, nem todas as comunidades têm acesso a elas e muitos países ainda não as incorporaram em seus programas nacionais de vacinação.

Também estão em andamento pesquisas para desenvolver vacinas contra outras causas de meningite, como o estreptococo do grupo B.

Últimas