Saúde Sofre com estresse no dia a dia? Isto acelera o envelhecimento do seu sistema imunológico

Sofre com estresse no dia a dia? Isto acelera o envelhecimento do seu sistema imunológico

Estudo feito na Universidade do Sul da Califórnia mostra que eventos estressores estão diretamente ligados a maior risco de doenças cardiovasculares e câncer

  • Saúde | Do R7

Resumindo a Notícia

  • Estresse é associado a declínio do sistema imunológico
  • Pesquisadores analisaram mais de 5.000 pessoas acima de 50 anos
  • Estilo de vida também tem relação com níveis de estresse
Pesquisadores compararam exames de sangue e questionário sobre estresse

Pesquisadores compararam exames de sangue e questionário sobre estresse

Freepik

Uma rotina de estresse é capaz de fazer com que o sistema imunológico de um indivíduo envelheça mais rápido, tornando-o mais vulnerável a doenças cardiovasculares, câncer e até mesmo complicações em casos de infecções como a Covid-19.

O resultado é de um estudo conduzido por pesquisadores da Universidade do Sul da Califórnia e publicado na segunda-feira (13) na revista acadêmica PNAS (Proceedings of the National Academy of Sciences), da Academia Nacional de Ciências dos Estados Unidos.

É normal que pessoas idosas tenham um declínio significativo do sistema de defesa do organismo. A condição é chamada de imunossenescência. Por essa razão, por exemplo, as vacinas funcionam com menos eficácia nessa população.

O perfil imunológico de uma pessoa mais velha enfraquece e passa a ter muitos glóbulos brancos desgastados e poucos glóbulos brancos frescos prontos para enfrentar novos invasores.

Os pesquisadores quiseram descobrir por que existem diferenças drásticas na saúde de adultos com a mesma idade. Eles focaram a conexão entre a exposição ao estresse ao longo da vida e o declínio do sistema imunológico.

O grupo usou uma base de dados da Universidade de Michigan e analisou informações de 5.744 adultos com mais de 50 anos.

Eles responderam a um questionário que abordava experiências com estresse social, estresse crônico e discriminação ao longo da vida.

Os cientistas também analisaram o sangue dos participantes por meio de uma técnica que classifica as células à medida que elas passam por um fluxo de laser.

Depois, os pesquisadores compararam os resultados dos exames laboratoriais com os questionários.

Descobriu-se que indivíduos com perfil imunológico aparentemente mais velho tinham altas pontuações de estresse "com porcentagens mais baixas de combatentes de doenças recentes e porcentagens mais altas de glóbulos brancos desgastados".

Todavia, os cientistas ainda perceberam que pessoas com um estilo de vida menos saudável, especialmente aquelas com sobrepeso, tinham mais risco de estresse.

Isso ocorre porque as células T, que são importantíssimas para a imunidade, amadurecem em uma glândula chamada timo, localizada em frente e acima do coração.

Com o passar dos anos, essa área encolhe e é substituída por tecido de gordura, o que provoca queda da produção de células de defesa.

Pessoas com dietas pobres e pouca prática de atividade física – associados ao estresse social – costumam apresentar esse processo com mais frequência, segundo estudos anteriores.

"Neste estudo, depois de controlar estatisticamente a má alimentação e a falta de exercícios, a conexão entre estresse e envelhecimento imunológico acelerado não foi tão forte. O que isso significa é que as pessoas que sofrem mais estresse tendem a ter uma dieta e hábitos de exercícios mais pobres, explicando em parte por que elas têm um envelhecimento imunológico mais acelerado", afirmou em comunicado Eric Klopack, autor do trabalho.

Cansaço e estresse estão associados à deficiência de magnésio. Saiba mais

Últimas