Saúde Subvariante mais contagiosa da Ômicron já é dominante no Brasil, diz relatório

Subvariante mais contagiosa da Ômicron já é dominante no Brasil, diz relatório

O levantamento do Instituto Todos pela Saúde também identificou um aumento nos resultados positivos de testes de Covid-19

Agência Estado

Divulgação/National Institutes of Health

Uma avaliação divulgada nesta quinta-feira (28) pelo Instituto Todos pela Saúde (ITpS), com base em amostras dos laboratórios Dasa e DB Molecular, constatou que a BA.2, subvariante da Ômicron, correspondeu a 84,3% dos testes de Covid-19 analisados, o que a torna dominante no país. 

No relatório anterior, a média era de 69,3%. De 1º de fevereiro a 23 de abril, os laboratórios vinculados ao levantamento realizaram 70.267 testes, a maior parte na região sudeste. Nesse período, a sublinhagem BA.2 foi identificada em 122 municípios de 13 Estados.

O levantamento também identificou um aumento nos resultados positivos de testes de Covid-19 em duas semanas. A positividade subiu de 6,2% para 11,7% desde o último relatório, divulgado em 14 de abril.

Os dados comparam os resultados de testes de 17 a 23 abril com os de 3 a 9 de abril. Em São Paulo, a positividade subiu de 7% para 11%, enquanto foi de 6% a 14% em Minas Gerais e de 4% a 9% no Rio de Janeiro. A variação foi menos significativa no Distrito Federal, de 3% para 4%, e não ocorreu em Goiás, em qual se manteve em 3%.

O aumento abrangeu todas as faixas etárias. Na população de 80 anos ou mais, por exemplo, foi de 4% para 12%, segundo o relatório. Entre as crianças de 0 a 9%, foi menos significativo, de 2% para 4%. 

Últimas