Saúde Suplementação de colágeno: entenda quando é necessária e para que serve

Suplementação de colágeno: entenda quando é necessária e para que serve

Essa proteína produzida naturalmente pelo corpo é comumente associada à saúde da pele e dos cabelos, mas sua ação também é importante para o intestino e para as articulações; saiba mais

  • Saúde | Do R7

Não há contraindicações no uso do colágeno, desde que feito com acompanhamento

Não há contraindicações no uso do colágeno, desde que feito com acompanhamento

Freepik

Em uma rápida busca na internet é possível encontrar uma grande variedade de cosméticos que anunciam conter colágeno na fórmula. Ainda assim, pelo fato de essa proteína ser frequentemente associada à saúde da pele e dos cabelos, muitas pessoas buscam a suplementação dela para retardar a ação do envelhecimento nessas áreas.

A nutricionista Ana Luisa Duque Vieira, da Pineapple medicina integrada, afirma que, apesar de não haver contraindicações, a suplementação deve ser realizada quando houver necessidade e com acompanhamento especializado.

A especialista explica que o colágeno, produzido naturalmente pelo corpo, é uma proteína abundante no organismo e pode ser dividida em mais de 27 tipos, sendo os mais comuns o tipo 1, relacionado à pele, ao cabelo e às unhas; o tipo 2, que tem relação com as articulações; e o tipo 3, atrelado à cicatrização.

“Para retardar a perda de colágeno, é necessário diminuir a exposição aos raios ultravioleta, ter uma alimentação saudável e balanceada, fazer exercícios físicos regularmente, evitar o consumo de álcool e drogas, diminuir o estresse e aumentar a ingestão de vitaminas C, E e betacaroteno”, afirma.

Além dos benefícios já conhecidos que traz para manter o aspecto saudável da pele, essa proteína é importante para o fortalecimento dos dentes, o bom funcionamento do intestino e a cicatrização e o reparo de lesões e articulações.

Isso porque, segundo a nutricionista, o colágeno é essencial em todos os tecidos do organismo, tendo papel importante na sua estrutura e funcionalidade. “O colágeno atua na melhora de quadros de articulações e ossos, prevenção do envelhecimento, melhora na autoestima e saúde”, destaca.

Ana Luisa explica que a suplementação pode ser necessária para pessoas que praticam exercícios físicos de alto impacto, para aquelas que sofrem com má absorção intestinal ou intestino hiperpermeável, ou para auxiliar na manutenção da elasticidade e hidratação da pele.

“Ou apenas como mais uma fonte proteica, por ter boa digestão, baixo potencial alergênico, boa solubilidade e sabor neutro. A suplementação geralmente é segura, sem eventos adversos relatados. Mas é importante ressaltar que apenas um especialista deve prescrever a suplementação adequada para cada paciente, analisando sua saúde e suas necessidades fisiológicas específicas”, diz a nutricionista.

Para aqueles que querem aumentar o consumo de colágeno durante as refeições, e não depender apenas do que é produzido pelo corpo, vale apostar em alimentos como carnes vermelhas e brancas, ovos, castanhas, nozes e amêndoas; leguminosas como feijão, lentilha e ervilha; caldo de osso e vegetais verde-escuros.

“Além de consumir alimentos com colágeno, o ideal é estabelecer uma alimentação balanceada, rica em diversos nutrientes, como a vitamina C, que contribui para a síntese de proteínas, que depois serão transformadas em colágeno”, explica a nutricionista.

Fonte da juventude? Entenda o segredo da salada que Jennifer Aniston comeu por dez anos

Últimas