Tecnologia e Ciência 227 mil brasileiros têm os dados de cartões à venda na dark web

227 mil brasileiros têm os dados de cartões à venda na dark web

Segundo investigação, as informações foram roubadas e podem ser compradas por menos de R$ 40

Usuários de 140 países foram atingidos pelo roubo de dados de cartões de crédito

Usuários de 140 países foram atingidos pelo roubo de dados de cartões de crédito

Freepik

Os dados dos cartões de crédito de 227 mil brasileiros estão à venda na dark web. É o que aponta uma investigação realizada pelo fornecedor de serviços de rede privada virtual NordVPN. Segundo a empresa, esses dados podem ser adquiridos por 6,54 dólares, um pouco mais que R$ 36.

Usuários de 140 países tiveram seus dados roubados e oferecidos ilegalmente a quem quisesse adquiri-los. Metade das pessoas afetadas é dos Estados Unidos (1,5 milhão) e outras 400 mil são da Austrália. A bandeira mais visada, por sua vez, foi a Mastercard. Na sequência, aparecem Visa e Elo.

A exposição de informações pessoais por meio do acesso a bancos de dados tem sido frequente. O relatório mostra que o número dos cartões foi roubado por meio de "técnicas de força bruta", que consistem em tentativas sucessivas até que as informações cobiçadas pelos criminosos sejam obtidas.

"Por isso é essencial adotar estratégias de proteção a informações", afirma o pesquisador de segurança da Eset Brasil, Daniel Barbosa. "Um exemplo é deixar apenas cartões de crédito temporários cadastrados em sites de compras. Outro é só realizar cadastro em sites confiáveis."

Para que os usuários protejam ainda mais seus dados e evitem ser vítimas de golpes que envolvam cartões de crédito, a Eset recomenda as seguinte medidas:

• acompanhe regularmente seus extratos: sempre confira nos extratos do seu cartão de crédito se todas as compras realmente foram efetuadas de forma regular;

• crie alertas: ative os alertas que permitem receber mensagens ao realizar qualquer tipo de compra ou operação com cartões. Dessa forma, você poderá reagir mais rapidamente;

• entre em contato: diante de qualquer movimentação suspeita, entre em contato imediatamente com o banco ou a operadora do cartão de crédito;

• conheça sua operadora: atualmente existem diversas operadoras de cartões de crédito. Procure saber se a sua operadora investe em infraestrutura de segurança, o que permite criar senhas mais fortes e utilizar ferramentas de detecção e prevenção contra esse tipo de acidente;

• não compartilhe seus dados: é sempre importante lembrar que dados pessoais não devem ser compartilhados com terceiros, especialmente os do cartão de crédito. Na internet existem diversos casos em que os dados do cartão são solicitados, sem nenhuma garantia de segurança.

Últimas