Tecnologia e Ciência Artemis, um robô humanoide jogador de futebol, está pronto para entrar em campo

Artemis, um robô humanoide jogador de futebol, está pronto para entrar em campo

Equipamento desenvolvido pela Universidade de Los Angeles utiliza tecnologia de ponta para dar chutes e aguentar empurrões

Reuters
Robô usa tecnologia de ponta e consegue dar chutes e receber empurrões pesados

Robô usa tecnologia de ponta e consegue dar chutes e receber empurrões pesados

REUTERS/Mike Blake - 13.04.2023

Cuidado, Lionel Messi! Artemis está pronto. Com 1,42 m e 38 kg, o Artemis é um robô pioneiro desenvolvido por engenheiros mecânicos da Universidade da Califórnia em Los Angeles (Ucla) e está preparado para entrar em campo.

Usando tecnologia de ponta, Artemis, que significa Advanced Robotic Technology for Enhanced Mobility and Improved Stability, pode manter seu equilíbrio contra chutes e empurrões pesados e resistir a objetos lançados contra ele, além de ser capaz de correr. Mas o que diferencia Artemis além disso é sua capacidade de chutar uma bola.

"Se o seu robô não pode nem jogar uma partida de futebol, como você poderia usar esses robôs para coisas mais importantes, como salvar a vida das pessoas?", disse Dennis Hong, professor de engenharia mecânica e aeroespacial e diretor do Laboratório de Robótica e Mecanismos (RoMeLa) da Ucla, que desenvolveu o Artemis.

As tecnologias utilizadas em robôs que jogam futebol também estão sendo usadas para outras aplicações, como combate a incêndios e socorro a desastres, afirmou Hong.

Embora Artemis não possa estar na próxima Copa do Mundo da Fifa, a equipe de Hong revelará todas as suas capacidades de futebol na RoboCup em Bordeaux, na França, em julho.

A principal inovação do robô se deve ao fato de que os engenheiros projetaram seus estimuladores — dispositivos que geram movimento a partir da energia — para se comportarem como músculos biológicos. Eles são elásticos e controlados por força, em vez de rígidos e controlados por posição, como são os estimuladores da maioria dos robôs.

O aluno do RoMeLa Justin Quan disse que seu objetivo pessoal é criar robôs que melhorem a vida das pessoas.

"Ver esses robôs ajudando a levar a tecnologia robótica para o próximo nível é realmente gratificante, porque você pensa, oh, o sonho está se aproximando", afirmou ele.

LEIA ABAIXO: Robô aspirador de pó detona casa após 'limpar' cocô de cachorro

Últimas