Tecnologia e Ciência Biden apoiou programa que levará astronautas a Estação Espacial

Biden apoiou programa que levará astronautas a Estação Espacial

Tripulação fará viagem neste sábado (14) a bordo do foguete Falcon 9, empresa de transporte espacial do bilionário Elon Musk

Biden ajudou a aprovar lei que apoiava o desenvolvimento do Programa de Tripulação Comercial

Biden ajudou a aprovar lei que apoiava o desenvolvimento do Programa de Tripulação Comercial

Jonathan Ernst/Reuters - 9.11.2020

A SpaceX, empresa de transporte espacial do bilionário Elon Musk, levará neste sábado (14) quatro astronautas a bordo do foguete Falcon 9 até a Estação Espacial Internacional (EEI), situada na órbita da Terra. Esta será a primeira missão operacional da tripulação lançada em solo americano desde a aposentadoria do programa Ônibus Espacial, em 2011.

O lançamento é fruto de um esforço contínuo para impulsionar o financiamento do Programa de Tripulação Comercial da NASA, a agência espacial norte-americana, que teve início ainda em 2011 e recebeu o apoio do então ex-vice presidente e agora presidente eleito Joe Biden.

"Joe Biden foi uma parte importante de tudo isso", afirmou o ex-senador democrata da Flórida Bill Nelsen, em coletiva em maio deste ano.

Segundo Nelsen, Biden o ajudou a aprovar um projeto de lei de autorização no Congresso em 2010 que apoiava o desenvolvimento do Programa de Tripulação Comercial, bem como o desenvolvimento do Sistema de Lançamento Espacial da NASA e da nave espacial Orion.

As raízes do programa remontam à administração de George Bush, quando o Orion foi originalmente visto como o próximo ônibus espacial que levaria astronautas até a estação espacial.

Orion foi posteriormente relegado para missões no espaço profundo, incluindo viagens à lua. Em setembro de 2014, dois anos antes do presidente Donald Trump assumir o cargo, a NASA escolheu a Boeing e a SpaceX para levar astronautas até a EEI.

Desde então, o desenvolvimento de ambas as espaçonaves – a Starliner, da Boeing, e o Crew Dragon, da SpaceX – foram afetados por atrasos, forçando a agência espacial a continuar fazendo uso da espaçonave Soyuz, da Rússia, para transportar astronautas até a estação espacial.

Retorno do homem à Lua

Sob o comando de Trump, a NASA reforçou por diversas vezes o compromisso de promover o retorno do homem à Lua, fosse por meio da Orion ou da nave espacial da SpaceX.

Em maio, Nelsen disse que sua esperança é que Biden "continue a marchar no caminho que estamos seguindo agora, voltando para a Lua e depois para Marte".

Ainda não se sabe, no entanto, se o presidente eleito seguirá esses passos. Quatro principais "prioridades" listadas recentemente no site de transição de Biden não incluem uma diretiva espacial, levando alguns a acreditar que a agência espacial pode voltar seu foco para a mudança climática.

*Estagiária do R7 sob supervisão de Fábio Fleury

Últimas