Tecnologia e Ciência Biotecidos popularizam-se e mudam a forma como as pessoas se vestem

Biotecidos popularizam-se e mudam a forma como as pessoas se vestem

Material tecnológico não agride o meio ambiente e pode até ter propriedades medicinais

Peças de Suzanne Lee são feitas de material orgânico e em casa

Peças de Suzanne Lee são feitas de material orgânico e em casa

Reprodução/Design Walk

A estilista londrina Suzanne Lee ficou famosa entre os especialistas de moda por seu método "rústico" de produção de roupas: misturar chá verde, micróbios e celulose numa solução que pode ser transformada, por exemplo, em uma jaqueta de couro estilosa ou uma calça transada.

Parece coisa de Bela Gil, mas não é: mo caso, a estilista produz de maneira bastante artesanal peças de roupa com o biotecido, material que está ficando cada vez mais conhecido no meio da moda principalmente por suas características amigáveis ao meio ambiente. 

O caso de Suzanne, que produz roupas cultivadas em laboratório, ainda é único, mas aqui no Brasil os biotecidos estão presentes, de forma mais tradicional. A designer de moda Gabriela Pereira explica que o biotecido nada mais é um material têxtil feito de qualquer propriedade orgânica. No mercado, são dois os principais tipos encontrados.

— Os dois principais tipos de biotecido são os que vêm da natureza, de tronco de árvore, folhagens, papel vegetal, entre outros, e o que é feito de material reciclado. 

A composição desse tecido varia e inclui muitas propriedades naturais, como colágeno, queratina, fibras proteicas, vegatais e celulose. O coordenador do curso de Textil e Moda da USP, Prof. Dr.  Mauricio Campos, ainda ressalta que as roupas feitas de biotecido podem ser utilizadas com outros propósitos que não de apenas vestimenta.

— Como o biotecido é de um sistema biológico, você pode pegar e ligar alguns elementos que tem alguma função para beneficiar o usuário, como fazer uma camiseta com material que seja bactericids, com cheiro ou mesmo um medicamento, um curativo que depois você não vai ter que tirar.

VEJA TAMBÉM: Designers criam vaso conceitual que cresce junto com a planta

Tipo de tecido é muito popular no exterior, mas aqui no Brasil ainda cresce

Tipo de tecido é muito popular no exterior, mas aqui no Brasil ainda cresce

Summit/Exhibition

No dia a dia, já é possível encontrar peças feitas de garrafa PET, por exemplo, em lojas de departamento, que vendem razoavelmente bem. Gabriela afirma que ao mesmo tempo que as peças têm um público, elas enfrentam um problema para se popularizar.

— O mercado está aceitando bem o biotecido porque ele tem uma pegada de "salvação da pátria, salvação do meio ambiente", o unico problema é o preço mesmo, que é muito caro por ser um material mais complexo de fabricar.

No País, são poucos os locais que tecem esse tipo de têxtil, e a maioria das peças encontradas na lojas são importadas. Campos também afirma que o biotecido tem outras aplicações que não no campo da moda.

— Hoje em dia, tem aquela função dos texteis em aplicação que não seja vestuário, com espaço para produção em malha de esporte, malha de mobilidade. Você tem uma indústria automobilística forte, com várias opções de aplicação do biotecido.

Para Campos, os biotecidos devem se inserir ainda mais no dia a dia das pessoas.

— A tendência é baratear, já que existe pesquisa para os tecidos começarem a ser feitos em laboratório. 

*Colaborou Raphael Andrade, estagiário do R7

Últimas