Tecnologia e Ciência Black Friday: veja cuidados para não cair no golpe da oferta falsa

Black Friday: veja cuidados para não cair no golpe da oferta falsa

Além de tomar cuidado com maquiagem no preço dos produtos, compradores podem acessar canais de defesa do consumidor para se informar 

Consumidores devem ficar atentos desde as ofertas até o valor do frte

Consumidores devem ficar atentos desde as ofertas até o valor do frte

Pixabay

Vai comprar na Black Friday nesta sexta-feira (27)? Então fique atento. Além dos cuidados com golpes de cartões de crédito e dados pessoais, os consumidores devem também ter cuidado falsas promoções oferecidas.

Uma pesquisa realizada pela Conversion, empresa especializada em SEO para negócios digitais, levantou a informação de que cerca de 75% dos brasileiros vão optar pelas compras online durante a Black Friday deste ano. 

Black Friday: como não cair em golpes e evitar endividamento?

Uma fraude muito praticada nesse período de descontos é a maquiagem de preço, quando lojistas, principalmente do e-commerce, oferecem a já conhecida “metade pelo dobro” do valor indicado na compra. Essa prática consiste em aumentar o preço do produto 15 ou 30 dias antes da sexta-feira de promoções e, com a chegada da Black Friday, o valor é reduzido para o seu custo inicial, não implicando, no final, em nenhuma oferta para o consumidor.

Para evitar esse tipo de infração, a sugestão de especialistas é começar a monitorar os preços antes de sexta-feira (27). “O primeiro passo é o consumidor fazer o acompanhamento dos preços dos produtos que ele deseja consumir. O ideal é que esse acompanhamento seja feito durante algumas semanas que antecedem a data”, afirma Juliana Moya, advogada e relações institucionais da Proteste, Associação Brasileira de Defesa do Consumidor.

Caso o comprador não consiga fazer esse monitoramento prévio, a Proteste disponibiliza em seu site o download de um plugin que é instalado no navegador, e que faz o levantamento destes preços anteriores à Black Friday de maneira automática, apresentando ao consumidor as lojas que realmente baixaram os valores dos produtos.

Durantes os próximos dias, os clientes devem também atentar-se ao frete, uma vez que os sites podem diminuir bastante o preço do produto e compensá-lo com um alto valor na entrega dele. “Se o preço do frete for desproporcional, se é acima do normal, é evidente que eles colocaram um preço no produto só para chamar a atenção, e compensaram com um frete artificial”, ressalta o Diretor Executivo do Procon-SP Fernando Capez. Ele destaca que isso se trata de prática enganosa,  e a empresa pode ser multada caso realize esse tipo de ação.

Fique de olho no preço

Capez também reforça a importância de os compradores tomarem cuidado com os produtos que possuem um certo preço até o momento da finalização da compra mas que, no instante do pagamento, sobem para um valor diferente do indicado anteriormente. “Isso é gravíssimo. Iniciada a negociação, o preço deve ser mantido exatamente como se encontra até o final, sem qualquer alteração”, afirma o diretor do Procon-SP.

Em relação às reclamações, e quem os consumidores devem procurar caso identifiquem as fraudes destacadas anteriormente, Juliana Moya orienta que as pessoas entrem no canal “Reclame” no site da Proteste, onde poderão postar a reclamação e serem acompanhadas pelo órgão durante a resolução. “Caso o consumidor não obtenha resposta do lojista, ele pode contar com uma equipe de especialistas para fazer uma notificação à loja e buscar uma resolução. Mas esse segundo passo é um serviço disponível somente para associados.”

Além disso, ela destaca a importância dos clientes procurarem pelo Procon dos respectivos estados, mesmo conselho dado por Fernando Capez. “Preventivamente, para se informar, ele pode acessar o site do Procon. Para fazer uma reivindicação, ele pode fazer a reclamação eletrônica também no site do Procon, recebendo um SMS com o número do respectivo protocolo aberto”, destaca o diretor executivo.

*Sob supervisão de Paulo Guilherme

Últimas