Tecnologia e Ciência ChatGPT está disponível novamente a usuários na Itália, diz porta-voz da OpenAI

ChatGPT está disponível novamente a usuários na Itália, diz porta-voz da OpenAI

Chatbot havia sido proibido no país, após o governo levantar sérias dúvidas quanto a proteção de dados do programa

Reuters
Aplicativo voltou a ficar disponível na Itália, onde tinha sido proibido pelo governo

Aplicativo voltou a ficar disponível na Itália, onde tinha sido proibido pelo governo

REUTERS/Dado Ruvic

O acesso ao chatbot ChatGPT foi restabelecido na Itália depois que sua idealizadora, a OpenAI, "resolveu ou esclareceu" questões levantadas pela autoridade italiana de proteção de dados, disse um porta-voz da OpenAI nesta sexta-feira.

A OpenAI, apoiada pela Microsoft, tirou o ChatGPT do ar na Itália no mês passado, após a autoridade de proteção de dados do país, conhecida como Garante, proibir temporariamente o chatbot e iniciar uma investigação acerca de uma suspeita de violação das regras de privacidade pela plataforma.

A empresa disse que irá fornecer maior visibilidade sobre sua política de privacidade e seu formulário de exclusão de conteúdo do usuário.

A OpenAI também irá fornecer um novo formulário para usuários na União Europeia exercerem seu direito de se opor ao uso de seus dados pessoais para treinamento dos modelos de inteligência artificial da empresa, disse o porta-voz.

A Garante acusa a OpenAI de não verificar a idade dos usuários do ChatGPT, que precisam ter 13 anos ou mais, e a OpenAI disse que irá disponibilizar uma ferramenta para verificar a idade dos usuários na Itália durante seu cadastro.

A Garante confirmou que o chatbot voltou a funcionar na Itália e disse que sua investigação sobre a OpenAI continua.

O órgão recebeu bem as medidas tomadas até agora para resolver as questões levantadas e disse esperar que a empresa atenda a novos pedidos da reguladora, particularmente sobre a verificação de idade e informação aos consumidores italianos relativa ao uso de seus dados.

LEIA ABAIXO: Vale da estranheza: fotos realistas geradas por inteligência artificial perturbam redes sociais

Últimas