Tecnologia e Ciência Dia internacional da proteção de dados alerta para os riscos na rede

Dia internacional da proteção de dados alerta para os riscos na rede

Data foi criada em 2006 pelo Conselho Europeu com o objetivo de alerta e conscientizar as pessoas sobre a importância da privacidade na internet

Dia internacional da proteção de dados é comemorado todo dia 28 de janeiro

Dia internacional da proteção de dados é comemorado todo dia 28 de janeiro

Pixabay

O dia internacional da proteção de dados é comemorado todo dia 28 de janeiros. A data foi criada em 2006 pelo Conselho Europeu com o objetivo de alerta e conscientizar as pessoas sobre a importância da privacidade na internet. 

Apesar da importância de se discutir o tema, o dia de hoje não é lembrado pela grande maioria das pessoas. Isso acontece também por uma falta de conhecimento sobre o assunto. 

"Existe muita desinformação e negligência a respeito da preservação de dados, não só por parte de seus proprietários, mas também pelos seus detentores. Para mudar esse quadro, são necessárias campanhas de educação, informação e conscientização", afirma Raul Colcher, engenheiro de comunicações pelo Instituto Militar de Engenharia (IME) do Rio de Janeiro e doutor em História das Ciências e das Técnicas e epistemologia pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e membro sênior do IEEE.

A principal preocupação das pessoas durante o uso da internet é ter dados bancários roubados ou cartões clonados por cibercriminosos. O especialista explica que isso acontece por ser um golpe que tem como consequência um prejuízo financeiro, mas existem outras situações online que é preciso ficar atento.

"Existe uma variedade de informações sensíveis cujo uso indevido ou fraudulento pode causar grandes aborrecimentos e prejuízos. O roubo de identidades (que pode resultar em compras ou outras atividades fraudulentas) e a apropriação indevida de informações sensíveis (registros médicos, informações pessoais, de redes sociais ou de comportamento), por exemplo, frequentemente resultam em chantagem ou cyberbullying e a invasão de privacidade decorrente da captura de informações sobre consultas e transações na web", explica o engenheiro.

Alguns comportamentos contribuem para a ação de criminoso que roubam ou vazam dados privados de equipamentos eletrônicos. São exemplos de riscos criados pelo próprio usuário o uso de dispositivos móveis em redes públicas desprotegidas, o comportamento desavisado ou ingênuo em redes sociais, a inexistência ou desatualização de software de proteção (como pacotes antivírus), a execução de anexos em mensagens e o fornecimento de informações em resposta a mensagens enviadas por pessoas desconhecidas.

A Lei de Geral de Proteção de Dados (LGPD) terá como desafio proteger e regular as informações coletadas e armazenadas na internet. O objetivo é prevenir e resolver incidente, responsabilizar e punir infratores que permitiram o roubo e o vazamento de dados coletados. 

"O texto da Lei aprovada presta-se a interpretações que podem garantir um nível de proteção razoável aos usuários brasileiros, e compatível com os padrões internacionais que já se encontram em funcionamento. A interpretação que será aplicada por juízes em casos concretos de incidentes de infringência da lei irá determinar o nível de criticalidade e dos investimentos a serem realizados, sobretudo por organizações potencialmente mais sujeitas a tais riscos" afirma Raul Colcher.

A LGPD entra em vigor no país a partir do dia 20 agosto, mais de 70 anos depois da publicação da Declaração Universal dos Direitos Humanos, da ONU. O artigo 12 desse documento publicado em 1948 diz "Ninguém será sujeito a interferências em sua vida privada, em sua família, em seu lar ou em sua correspondência, nem a ataques à sua honra e reputação. Todo ser humano tem direito à proteção da lei contra tais interferências ou ataques."

Em 2021, no próximo dia internacional da proteção de dados, o Brasil já terá novas leis para proteger as informações pessoais de seus cidadãos. Busca-se assim aumentar a visibilidade do assunto e também conscientizar sobre a privacidade na rede.

Últimas