Tecnologia e Ciência Dupla cria solo infinito de baixo a partir de inteligência artificial

Dupla cria solo infinito de baixo a partir de inteligência artificial

Robô aprendeu a reconhecer padrões para criar composições por conta própria usando uma técnica chamada deep learning 

Dupla de músicos "treinam" robô para trocar um solo infinito de baixo

Dupla de músicos "treinam" robô para trocar um solo infinito de baixo

Freepik

Os músicos CJ Carr e Zack Zuckowski, que há cinco anos se dedicam a usar inteligência artificial para produção de obras musicais, criaram juntos o projeto Dadabots e "treinaram" um robô para tocar um solo infinito de baixo.

A dupla utiliza o deep learning, ou aprendizado de máquina, para oferecer referências suficientes para que a máquina aprenda a reconhecer padrões e criar composições por conta própria.

A tarefa, claro, requer uma boa base de dados. No caso da mais recente produção, os músicos treinaram a rede neural com duas horas de improvisação de baixo com o youtuber Adam Neely.

Depois de algumas tentativas e erros, a dupla limitou o conjunto de dados a licks mais rápidos – curta série de notas usadas em solos e linhas melódicas e acompanhamento –, o que melhorou a qualidade do som.

Outras criações

Até o momento, DJ Carr e Zack Zukowski já lançaram três álbuns criados sob o mesmo método: Cotidianity of Timeness, Calculating Calculating Infinity, e Deep the Beatles!.

No caso do Cotidianity of Timeness, os dados foram extraídos de um álbum já existente de black metal, o Diotima, produzido pela banda Krallice, de Nova York, nos Estados Unidos.

Já para a produção do Calculating Calculating Infinity, foram usados trechos do álbum de uma banda de metalcore também americana, Dilligel Escape Pan.

O terceiro álbum dos músicos, por sua vez, consiste em uma tentativa de fazer algo próximo ao primeiro álbum dos Beatles, Please Please Me.

Ouça ao solo infinito de baixo disponível no YouTube:

*Estagiária do R7 sob supervisão de Pablo Marques

Últimas