Tecnologia e Ciência Foguete espacial do Irã não colocou dispositivos em órbita, diz oficial

Foguete espacial do Irã não colocou dispositivos em órbita, diz oficial

Representantes do governo afirmaram que veículo espacial não atingiu a velocidade necessária para o sucesso da missão

Reuters
Irã pretende colocar satélites na órbita da Terra no futuro

Irã pretende colocar satélites na órbita da Terra no futuro

Iranian Defence Ministry/AFP - 30.12.2021

Um lançamento espacial do Irã não conseguiu colocar seus três dispositivos em órbita, pois o foguete não atingiu a velocidade exigida, afirmou um porta-voz do Ministério da Defesa em declarações transmitidas pela TV estatal nesta sexta-feira (31).

A tentativa de lançamento, que ocorreu durante negociações indiretas entre EUA e Irã na Áustria para tentar salvar um acordo nuclear de 2015, atraiu críticas de Estados Unidos, Alemanha e França.

"Para um dispositivo entrar em órbita, ele precisa atingir velocidade acima de 7.600 [metros por segundo]. Chegamos a 7.350", disse Ahmad Hosseini, em documentário sobre o lançamento transmitido pela TV estatal e postado online.

Na quinta-feira (30), Hosseini não esclareceu se os dispositivos chegaram à órbita, mas sugeriu que o lançamento seria um teste antes das próximas tentativas de colocar satélites em órbita.

O Irã, que tem um dos maiores programas de mísseis do Oriente Médio, sofreu várias falhas no lançamento de satélites nos últimos anos devido a problemas técnicos.

Washington disse estar preocupado com o desenvolvimento de foguetes espaciais do Irã, e um diplomata alemão afirmou que Berlim teria pedido ao Irã que parasse de enviar foguetes de lançamento de satélites ao espaço, acrescentando que eles violam uma resolução do Conselho de Segurança da ONU.

A França disse que o lançamento viola as regras da ONU e é "ainda mais lamentável", já que as negociações nucleares com potências mundiais estão avançando.

Teerã nega que sua atividade espacial seja uma cobertura para o desenvolvimento de mísseis balísticos ou que tenha violado uma resolução da ONU.

Últimas