Tecnologia e Ciência Grupo Fleury retoma parte dos serviços após ataque cibernético

Grupo Fleury retoma parte dos serviços após ataque cibernético

A rede de serviços de saúde negou, em comunicado, que tenha recebido pedidos de resgate por parte dos hackers

Comunicado no site do grupo afirma que sistema de hospitais foi parcialmente restabelecido

Comunicado no site do grupo afirma que sistema de hospitais foi parcialmente restabelecido

Reprodução

Três dias após ser atingido por um ataque cibernético, o sistema do grupo de serviços de saúde Fleury continua fora do ar. Em um comunicado divulgado na noite de quinta-feira (24), a empresa afirmou que começou a restabelecer parcialmente os serviços, especialmente os que funcionam dentro de hospitais particulares.

Leia também: Ataque cibernético deixa sistemas do grupo Fleury indisponíveis

O grupo também esclareceu que não houve nenhum pedido de resgate por parte dos hackers que realizaram o ataque. Nas últimas semanas, houve pedido e pagamento em diversos outros casos de invasão, como no ataque ao sistema da empresa de frigoríficos JBS e da Colonial Pipelines, maior empresa de gasoduto norte-americana.

"Informamos que não procede a informação de resgate relacionado ao ataque cibernético que sofremos ou a qualquer outro evento.  Como já foi informado anteriormente, reiteramos que nossa base de dados está íntegra e destacamos que não há quaisquer evidências de vazamento de dados e informações sensíveis", diz o comunicado.

No momento, ainda não é possível agendar exames dentro do site da empresa, mas os clientes podem procurar as unidades de atendimento pessoalmente. Também não há previsão para o restabelecimento dos serviços.

O Hospital Sírio-Libanês comunicou que, por causa do ataque externo aos sistemas do Laboratório Fleury, seu parceiro, tem sido atendido por meio de um sistema de contingência que permite a continuidade da realização de exames laboratoriais a todos os pacientes que procurarem atendimento.

"Enquanto isso, equipes do Sírio-Libanês e do laboratório trabalham rapidamente para sanar possíveis atrasos nos exames. Ressaltamos que os sistemas do Sírio-Libanês não foram afetados, e que não há impactos na liberação de laudos dos exames de imagem e demais testes realizados por nossos pacientes", disse o hospital, em nota.

O grupo Fleury é uma das maiores redes de laboratórios do país, com 242 unidades de atendimento em 8 estados e no Distrito Federal. Além disso, presta serviços a diversos hospitais, como Sírio-Libanês, Beneficência Portuguesa, Samaritano, Oswaldo Cruz, A.C. Camargo, Moinhos de Vento e Mãe de Deus.

Últimas