Humanos podem viver até os 150 anos, revela pesquisa

Estudo conduzido por cientistas de Cingapura analisou grupos de pessoas nos EUA, no Reino Unido e na Rússia

Jeanne Louise Calment morreu com 122 anos em 1997

Jeanne Louise Calment morreu com 122 anos em 1997

Arne Hendricks via Flickr

A francesa Jeanne Louise Calment morreu em 1997 aos 122 anos e é considerada a pessoa mais velha já registrada na história. São poucas as pessoas que conseguirão alcançar esse feito, mas pesquisadores revelaram que os humanos têm a capacidade de viver até os 150 anos.

Os resultados do estudo conduzido por cientistas da Gero, empresa de biotecnologia com sede em Cingapura, foram publicados no dia 25 de maio na revista científica Nature Communications.

De acordo com os especialistas, os seres humanos conseguem viver entre 120 e 150 anos, mas sem levar em conta doenças cardiovasculares, câncer ou acidentes, o que pode antecipar a morte.

Os pesquisadores analisaram três grandes grupos de pessoas nos Estados Unidos, na Rússia e no Reino Unido, investigando detalhadamente recortes como idade, quantidade de passos diários e o número de células sanguíneas dos voluntários.

As investigações revelaram que, conforme a idade dos indivíduos avança, o corpo perde a capacidade de restaurar a quantidade de glóbulos vermelhos no sangue, fazendo com que esse número diminua ao longo do tempo.

Leia mais: TV chinesa acompanha 15 elefantes que cruzam país rumo ao norte

Além disso, quanto mais velha a pessoa, mais tempo ela leva para se recuperar de danos físicos causados por acidentes cotidianos ou por doenças.

Para mostrar como fatores sociais caminham em paralelo com os resultados da pesquisa, os cientistas utilizaram o exemplo de que atletas de alto rendimento normalmente deixam de realizar atividades profissionais quando atingem a faixa dos 40 anos de idade, o que indica que neste momento da vida já podem estar ocorrendo alterações fisiológicas significativas nos indivíduos.

*Estagiário do R7 sob supervisão de Pablo Marques

Últimas