Tecnologia e Ciência Índia perde contato com sonda durante pouso no polo sul da Lua

Índia perde contato com sonda durante pouso no polo sul da Lua

Agência espacial indiana afirma que deixou de receber dados do módulo espacial Chandrayaan-2 quando a nave estava a 2 km da superfície lunar

Índia perde contato com sonda durante pouso no polo sul da Lua

Cientistas da Isro acompanham a missão da sonda Chandrayaan-2

Cientistas da Isro acompanham a missão da sonda Chandrayaan-2

Jagadeesh NV via EPA / EFE / 6.9.2019

A Organização de Pesquisa Espacial da Índia (Isro) anunciou que perdeu contato com o módulo espacial Chandrayaan-2, que chegaria nesta sexta-feira (6) ao inexplorado polo sul da Lua, cerca de 20 minutos após entrar na fase mais crítica do pouso.

"A descida ocorreu como planejada, e foi observada uma atividade normal até uma altitude de 2,1 quilômetros. Depois disso, a comunicação foi perdida, e estamos analisando os dados", afirmou à sala de controle o chefe da Isro, Kailasavadivoo Sivan.

Leia também: Missão espacial chinesa desvenda segredos do lado oculto da Lua

O primeiro-ministro da Índia, Narendra Modi, presente na sala de controle da agência espacial indiana, na cidade de Bangalore, disse esperar "que ocorra o melhor".

Ainda não está claro o que ocorreu com o módulo de aterrissagem, que deixou a Terra em 22 de julho — após uma primeira tentativa abortada por um problema no sistema do veículo de lançamento — e tentava realizar um pouso suave, sem provocar danos materiais.

O possível fracasso da missão seria um duro golpe para a Índia, que tenta se transformar em um dos poucos países do mundo a conseguir uma alunissagem suave, façanha conseguida apenas por Rússia, Estados Unidos e China.

O objetivo da missão Chandrayaan-2 é obter mais informações sobre a composição mineral do satélite da Terra e ampliar os conhecimentos disponíveis sobre a presença de água.

O país tinha estabelecido o complicado objetivo de pousar a sonda no polo sul do satélite, até agora inexplorado pelas missões lunares das potências espaciais, já que a superfície é mais irregular do que no equador da Lua.

Esta é a segunda missão de exploração lunar da Índia — a versão anterior, Chandrayaan-1, foi colocada na órbita lunar em novembro de 2008. Naquela ocasião, um instrumento da Nasa que estava a bordo confirmou a presença de água na Lua.

A Índia conta com um dos programas espaciais mais ativos do mundo e começou a enviar satélites à órbita terrestre em 1999.

Entre os próximos objetivos da ISRO estão colocar em órbita a sua própria estação espacial, missões a Venus e ao Sol e a sua primeira missão tripulada no espaço.