Itália multa Google por abuso de posição dominante

Multa foi motivada pela recusa da empresa de aceitar aplicativo que permita localizar terminais de recarga para carros elétricos

Itália multa Google em R$ 653 milhões por abuso de posição dominante

Itália multa Google em R$ 653 milhões por abuso de posição dominante

Clay McLachlan/Reuters

A agência reguladora da concorrência na Itália anunciou nesta quinta-feira (13) uma multa de mais de 100 milhões de euros, cerca de R$ 653 milhões, contra o Google por abuso de posição dominante.

A multa, de 102,084 milhões de euros (123,5 milhões de dólares), foi motivada pela recusa da empresa a aceitar em sua plataforma Google Play um aplicativo que permita localizar terminais de recarga para os carros elétricos, afirmou a agência italiana em um comunicado.

"Com o sistema operacional Android e a loja de aplicativos Google Play, Google tem uma posição dominante (...) É necessário recordar que na Itália quase 75% dos smartphones utilizam Android", completou a autoridade antimonopólio. 

Uma investigação da agência reguladora italiana aponta que o Google não autorizou o uso do app JuicePass, desenvolvido pelo grupo de energia italiano Enel, em seu sistema Android Auto. 

"O JuicePass oferece uma ampla gama de serviços para a recarga de veículos elétricos, que vão da busca de uma estação de recarga até a gestão do processo de recarga e a reserva de uma estação", afirmou o organismo italiano.

O aplicativo faz concorrência com o da gigante americana, Google Maps, que, no entanto, atualmente permite apenas procurar estações de recarga para veículos elétricos.

"Google, ao negar a Enel X Itália (...) a disponibilidade do JuicePass no Android Auto, limitou injustamente as possibilidades dos usuários do aplicativo da Enel", afirmou a agência, que iniciou a investigação em maio de 2019. 

Últimas