Tecnologia e Ciência Nova Zelândia: Facebook, YouTube e Twitter bloqueiam vídeo de ataque 

Nova Zelândia: Facebook, YouTube e Twitter bloqueiam vídeo de ataque 

Um dos atiradores fez  uma transmissão ao vivo do momento exato em que abre fogo contra centenas de pessoas em uma mesquista

Nova zelândia

Facebook, YouTube e Twitter retiraram do ar vídeos do ataque contra duas mesquitas, em Christchurch, na Nova Zelândia, nesta sexta-feira (15). As informações foram publicadas pela CNN.

Um dos atiradores transmitiu ao vivo pelo Facebook o exato momento em que entra no local armado e abre fogo contra centenas de fiéis. 

Até o momento, foram contabilizadas 48 pessoas mortas, nos dois ataques, e outras 48 ficaram feridas.

"A Polícia da Nova Zelândia nos alertou sobre um vídeo no Facebook logo após o início da transmissão e removemos rapidamente as contas do Facebook, do Instagram e do vídeo", disse diretora de política da rede social para Austrália e Nova Zelândia, Mia Garlick, à CNN.

O Google, proprietário do YouTube, afirma ter removido "conteúdo chocante, violento e gráfico" assim que teve conhecimento do conteúdo, de acordo com um porta-voz do buscador.

O Twitter tem uma "equipe dedicada para gerenciar situações exigentes e de emergência como essa", disse a empresa em comunicado.

A polícia da Nova Zelândia pede aos usuários de mídias sociais que não compartilhem supostas filmagens.

Veja também: 

Ataque terrorista mata ao menos 49 e fere quase 50 na Nova Zelândia