Tecnologia e Ciência Refugiados ucranianos recebem ajuda por meio de app de relacionamento para sair do país

Refugiados ucranianos recebem ajuda por meio de app de relacionamento para sair do país

Pelo Tinder, usuários de outros países oferecem abrigo, contatos e locais para descanso

Número de refugiados da invasão russa supera 3 milhões

Número de refugiados da invasão russa supera 3 milhões

Lukasz Glowala/Reuters 03.03.2022

Mais de 3 milhões de pessoas fugiram da Ucrânia desde que a Rússia invadiu o país, em 24 de fevereiro. Em uma luta para encontrarem refúgio em países vizinhos, algumas pessoas recorrem a soluções inesperadas, como o app de relacionamentos Tinder.

Uma dessas pessoas foi Anastasia Tischchenko, que fugiu de Ivano-Frankivsk, no oeste da Ucrânia, com a amiga Natalia Masechko. Segundo o jornal New York Times, foi no aplicativo que ela encontrou auxílio e contatos que poderiam ajudá-la assim que conseguiu chegar a Siret, já na Romênia.

Foram 64 horas de espera para cruzar a fronteira. Nesse período, ela encontrou pessoas no app que ofereceram apartamentos e outros locais para estadia temporária.

"Acho que existem muitas pessoas honestas no mundo, e algumas delas estão no Tinder",  disse Anastasia ao jornal no sábado (12).

Após um dia de estadia em Siret, só possível com a ajuda de moradores locais que usam o app, Anastasia foi para a Polônia, enquanto a amiga Natalia ficou na região por uma semana, como tradutora voluntária do próximo grupo de refugiados.

A Polônia é o país que mais recebeu refugiados da Ucrânia. No total, 1,79 milhão de pessoas encontraram refúgio ali desde 24 de fevereiro, segundo o Acnur (Alto-Comissariado da ONU para Refugiados).

Romênia, Hungria e Moldávia também receberam um número significativo de ucranianos que fugiram da ofensiva lançada pela Rússia.

LEIA ABAIXO: Ucranianos fogem da guerra levando seus gatos e cachorros

Últimas