Tecnologia e Ciência Segurança: saiba como proteger suas contas nas redes sociais 

Segurança: saiba como proteger suas contas nas redes sociais 

Prevenção contra ciberataques pode ser feita utilizando senhas mais robustas, e também usando a autenticação em dois fatores 

Resumindo a Notícia

  • Usuários devem utilizar senhas mais fortes em redes sociais
  • A autenticação em dois fatores é uma alternativa para usuários
  • Pessoas devem ter cuidados com computadores públicos
  • Atenção com o phishing deve ser redobrada
Usuários devem ficar atentos à composição de suas senhas

Usuários devem ficar atentos à composição de suas senhas

Flickr

A pandemia causada pelo coronavírus, e falta de contato presencial entre as pessoas, fez com que elas passassem a utilizar mais as redes sociais. Por conta disso, aumentou-se também a necessidade de cuidados com as suas respectivas contas, com o objetivo dos usuários se protegerem de golpes e possíveis fraudes.

Cuidados com as senhas

O primeiro passo para proteger uma conta na rede social é utilizar uma senha forte e segura. De acordo com José Milagre, advogado e perito em crimes cibernéticos, é importante fugir de senhas com sequências numéricas básicas (1-2-3-4, por exemplo), e também de palavras simples usadas diariamente.

Leia mais: Veja as ameaças cibernéticas que mais afetaram os usuários em 2020

“Hoje existe o ‘ataque de dicionário', onde os criminosos testam, através de programas, todas as palavras do dicionário para terem acesso à senha do usuário”, ressalta o especialista. “Para evitar isso, é muito importante que a composição destes códigos tenha letras, números, caracteres especiais (como asterisco e travessão) e cerca de 10 dígitos.”

Segundo o advogado, utilizar senhas distintas para diferentes redes sociais, como Instagram e Facebook, também é uma alternativa para que as pessoas evitem a invasão de criminosos a mais de uma conta, caso eles já tenham acessado alguma delas.

No que diz respeito à proteção da conta, uma outra orientação é utilizar a autenticação de dois fatores. "Nós recomendamos a autenticação em duplo fator porque, caso o criminoso tenha acesso ao login e senha do usuário, ele vai precisar de mais uma uma informação para entrar na conta, informação essa que chegará especificamente ao dispositivo da vítima”, destaca José.

Atenção ao uso de computadores públicos

Com as pessoas usando cada vez mais computadores públicos, como o das empresas, é muito importante ficar atento aos logins que ficam salvos nos dispositivos que você acessou. O especialista em crimes cibernéticos afirma que uma alternativa é utilizar, nestes acessos, as navegações privadas através de janelas anônimas, além de sempre remover as credenciais salvas.

leia mais: Arqueólogos desenterram banca de comida de rua em Pompéia

“Essas navegações privadas garantem que, em um computador compartilhado, as pessoas que o acessarem depois não tenham acesso aos sites que você acessou. Por padrão, este tipo de navegação limpa históricos e não deixa senhas armazenadas, diz o diretor da consultoria CyberExperts.

Evite acessar links muito chamativos

Entre as medidas de segurança que os usuários de redes sociais podem adotar, também estão os cuidados com o famoso phishing, o golpe dos links falsos que, normalmente, através de promoções e notícias chamativas, atraem as pessoas para sites fraudulentos.

“O phishing vinha predominantemente por e-mail, mas de um tempo pra cá temos percebido ele muito presentes em aplicativos de mensagem como o WhatsApp e o Messenger. Logo, as pessoas precisam tomar cuidado com a curiosidade porque, a partir do momento que você acessa o link, você pode estar cedendo as suas credenciais de acesso aos criminosos”, ressalta José Milagre.

*Estagiário do R7 sob supervisão de Paulo Guilherme

Últimas