Tecnologia e Ciência Turismo para bilionários e cinema: os projetos de Moscou no espaço

Turismo para bilionários e cinema: os projetos de Moscou no espaço

Magnata japonês e dupla de cineastas embarcarão ainda este ano; O orçamento para o filme ainda não foi divulgado

Rússia vai enviar bilionário e cineastas para Estação Espacial Internacional

Rússia vai enviar bilionário e cineastas para Estação Espacial Internacional

HO/NASA/AFP

A Rússia anunciou nesta quinta-feira(13) que uma equipe de cinema vai produzir um filme de ficção a bordo da Estação Espacial Internacional em outubro, antes de colocar um bilionário japonês em órbita em dezembro. 

Esses anúncios foram divulgados em meio a uma luta de anos da agência espacial Roscosmos para tentar se recuperar de escândalos de corrupção e da concorrência com a americana Space X de Elon Musk. 

Nesta quinta-feira, foi anunciada pela primeira vez a viagem à ISS do bilionário japonês Yusaku Maezawa e de seu assistente Yozo Hirano, encarregado de documentar a aventura. 

A viagem acontecerá em 8 de dezembro a bordo de uma espaçonave Soyuz. 

“A duração da viagem será de 12 dias”, disse a agência, especificando que o treinamento da tripulação começaria em junho.

"Tenho muita curiosidade para ver como é a vida no espaço, então planejei descobrir por mim mesmo e compartilhar com o mundo em meu canal do YouTube", comentou Yusaku Maezawa em um comunicado da Space Adventures.

Além disso, a Roscosmos anunciou que enviaria a atriz Yulia Peressild, de 36 anos, e o diretor Klim Chipenko, de 37 anos, a bordo da ISS em outubro. 

Lá eles devem rodar "o primeiro filme de ficção no espaço", uma obra cujo nome provisório seria "O desafio". 

O filme é coproduzido por Dmitry Rogozine, chefe da Roscosmos, que quer que a Rússia seja o primeiro país a empreender tal projeto, enquanto a NASA trabalha com Tom Cruise para os mesmos fins. 

O orçamento russo não foi divulgado.

Concorrência espacial

Moscou perdeu em 2020 o monopólio dos voos tripulados mantido desde 2011. 

Desde maio de 2020, a SpaceX se tornou capaz de enviar astronautas para a estação, ganhando os contratos da NASA e das agências europeia e japonesa. 

Isso representa uma perda de dezenas de milhões de dólares para a Rússia. 

A Roscosmos e a Space Adventures já haviam colaborado entre 2001 e 2009 para enviar turistas ao espaço oito vezes. O último foi o fundador do Cirque du Soleil, o canadense Guy Laliberté. 

O excêntrico bilionário japonês que o sucederá na aventura fez fortuna no comércio online. 

Ele planeja ainda levar oito pessoas em uma viagem ao redor da Lua, marcada para 2023 com uma futura nave espacial, projetada pela Space X.

Nem a Space Adventures nem a Roscosmos divulgaram quanto Yusaku Maezawa vai pagar por dois dos três assentos da cápsula da Soyuz. 

Segundo a revista especializada Forbes, um lugar custa entre 20 e 35 milhões de dólares por oito a doze dias a bordo da estação. 

Além do turismo espacial e do cinema, o chefe da Roscosmos, Dmitry Rogozine, prometeu construir, no futuro, uma estação espacial exclusivamente russa. 

Moscou e Pequim também assinaram um memorando para construir uma estação na órbita ou na superfície lunar. 

Estes projetos ainda não têm orçamento e cronograma definidos.

Últimas