PF volta a prender bicheiro Carlinhos Cachoeira

Contraventor é alvo da Operação Saqueador, que cumpre mandados da Justiça Federal do RJ

Do R7, com Estadão Conteúdo

Carlinhos Cachoeira foi preso pela PF nesta quinta-feira (30) em GO Valter Campanato/1º.08.2012/Agência Brasil

A PF (Polícia Federal) voltou a prender nesta quinta-feira (30) em Goiânia (GO) o bicheiro Carlos Augusto Ramos, o Carlinhos Cachoeira, que, ao lado da Delta Construções, do empresário Fernando Cavendish e do lobista Adir Assad são alvos da Operação Saqueador.

Cláudio Abreu, funcionário da Delta, também foi preso em Goiás. A PF informou que três pessoas foram presas, mas não divulgou todos os nomes dos detidos.

Havia cinco mandados de busca e apreensão e cinco mandados de prisão preventiva em São Paulo, Rio de Janeiro e Goiás, todos expedidos pela 7ª Vara Federal do Rio de Janeiro. Todos são suspeitos de lavagem de dinheiro no total de R$ 370 milhões.

Além de deter Cachoeira, a PF também fez buscas no apartamento de Cavendish no Leblon, zona sul do Rio, mas o empresário ainda não havia sido encontrado até por volta das 8h30 desta quinta-feira. Ele é considerado foragido da Justiça.

Não é a primeira vez que Cachoeira é preso pela PF. Em fevereiro de 2012, o contraventor foi preso para cumprir sentença de 39 anos de prisão, dada pelo juiz da 11ª Vara Federal, Alderico Rocha Santos, responsável pelos desdobramentos da operação Monte Carlo, na Justiça Federal em Goiás.

Leia mais notícias de Brasil e Política

Andressa Mendonça termina casamento com Cachoeira. Fotos

São alvos da ação a Delta Construções, o empresário Fernando Cavendish e o contraventor Carlinhos Cachoeira Fábio Motta/30.06.2016/Estadão Conteúdo

Cachoeira ficou preso por nove meses e deixou o presídio da Papuda, em Brasília, em novembro de 2012. Desde então, passou a aproveitar a liberdade — veja fotos de Cachoeira fora da cadeia.

A Monte Carlo investigava um esquema de uma quadrilha de jogos de azar em Goiás e no Distrito Federal, cujo líder era Cachoeira.

A ação desmontou a quadrilha, que mantinha contato e teria se beneficiado da relação com autoridades como o ex-senador Demóstenes Torres, que chegou a ser cassado devido ao seu envolvimento com o grupo.

A Polícia Federal informou nesta manhã que as investigações da Operação Saqueador já duram três anos. Foram pedidos o indiciamento de 29 pessoas, mas o MPF denunciou 23 à Justiça.

  • Espalhe por aí:

Twitter

X
Enviar por e-mail
(todos os campos marcados com * são obrigatórios)
Preencha os campos corretamente.
Mensagem enviada com sucesso!