Banda já havia utilizado sinalizador em outra boate de um dos sócios da Kiss, diz advogado de cantor

Defesa do empresário diz, porém, que ele foi pego "de surpresa"

Reprodução/Facebook

O advogado de Marcelo de Jesus dos Santos, vocalista da banda Gurizada Fandangueira, afirmou nesta quarta-feira (30) que Elissandro Spohr, um dos sócios da boate Kiss, de Santa Maria, já havia recebido a banda em outra boate de sua propriedade, a Abssinto, na mesma cidade, e que lá os músicos também utilizaram o sinalizador Sputnik.

Omar Obregom foi categórico ao informar que o empresário tinha conhecimento do uso do artefato e teria permitido a utilização na noite de domingo na boate Kiss.

Já o advogado de Elissandro informou que o empresário foi surpreendido com a coreografia da banda, que envolveu um sinalizador. A utilização do artefato é apontada como a provável causa do incêndio que matou, até o momento, 235 pessoas na noite do último domingo (27).

Leia mais notícias de Cidades

Donos da boate Kiss devem ser soltos na sexta-feira

"Minha filha não morreu, ela foi assassinada", diz pai de vítima  de tragédia em Santa Maria

Segundo Jader Marques, Elissandro sabia apenas que o grupo apresentaria “algo novo”. O advogado contou que, antes do show, um dos integrantes do grupo havia inventado uma nova apresentação, “que seria uma surpresa para todos os frequentadores”.

— O meu cliente não sabia do que se tratava. Foi pego totalmente de surpresa.

Após suposta tentativa de suicídio, sócio da boate Kiss é sedado e algemado em cama de clínica

Tragédia de Santa Maria registra primeira morte entre feridos. Número sobe para 235

Veja a cobertura completa do incêndio em Santa Maria