Cidades

30/1/2013 às 11h52

"Minha filha não morreu, ela foi assassinada", diz pai de vítima  de tragédia em Santa Maria

Estudante de radiologia deixou uma filha de um ano e quatro meses

Sylvia Albuquerque, do R7

Estudante de radiologia ficou presa no banheiro da boate Kiss Reprodução Facebook

O pai da estudante de radiologia Leandra Toniolo, uma das 235 vítimas mortas no incêndio em Santa Maria (RS), acredita que o acidente na boate Kiss não se tratou de uma fatalidade, mas sim de um crime doloso, quando existe a intenção de matar.

Ildo Toniolo contou que o local funcionou como um depósito de bebidas antes de se tornar uma casa noturna e ele mesmo trabalhou lá no período entre 1983 e 1986. Conhecendo o ambiente, ele disse acreditar que o depósito jamais poderia ter se tornado um lugar de eventos e receber a quantidade de gente que estava na boate na noite do incêndio.

— A minha filha não morreu, ela foi assassinada. Aquele lugar é um túmulo, não existem saídas, e não poderia jamais ser uma boate. Eu vou até onde eu aguentar e quero que todos os responsáveis por essa tragédia sejam punidos e percam a liberdade de ir e vir. Eu quero saber o nome do bombeiro que um dia assinou a autorização para aquilo abrir as portas.

Leandra deixou uma filha de um ano e quatro meses. Ela foi para a boate com uma amiga porque a criança estava com a avó paterna, em Santa Catarina. Leandra avisou a colega que ia ao banheiro e ficou presa na hora do incêndio, como muitas outras vítimas.

Veja a cobertura completa da tragédia

Maioria das vítimas era de estudantes. Veja o perfil

A amiga conseguiu sair e foi até a casa do pai de Leandra avisar. A jovem foi achada no banheiro horas depois, já sem vida. O pai a localizou no ginásio da cidade, para onde os corpos foram levados. A filha dela ainda não foi comunicada. Os avôs paternos e maternos disseram que querem uma guarda compartilhada, quando a criança passa um período na casa de cada um.

— Minha filha trabalhou o dia todo e quis se divertir porque estava sem a menina em casa. Agora a criança vai crescer sem mãe e um dia se perguntar por que as outras têm e ela não. Daí teremos que contar a forma trágica que a Leandra se foi.

A casa noturna estava cheia na hora que o fogo começou. Cerca de mil pessoas estariam no local. O incêndio provocou pânico e muitas pessoas não conseguiram acessar a saída de emergência. Os donos não tinham qualquer autorização do Corpo de Bombeiros para organizar um show pirotécnico na casa noturna. O alvará da boate estava vencido desde agosto de 2012, afirmou o Corpo de Bombeiros.

Dois donos da boate e dois integrantes da banda que se apresentava foram presos. O músico que teria iniciado o incêndio negou que tenha sido o responsável pela tragédia. Segundo o delegado da Polícia Civil, Marcelo Arigony, o artista, cuja identidade não foi revelada, "não assumiu a culpa em suas declarações" de hoje e negou qualquer responsabilidade no acidente.

Prefeitura de Santa Maria pretende criar memorial em prédio de boate

Sobrevivente da tragédia de Santa Maria conta que foi agredida por segurança da boate Kiss

GALERIA: Conheça as histórias de quem escapou da tragédia em Santa Maria

Os donos da casa noturna também negaram qualquer tipo de culpa e disseram que o fogo começou depois que a banda soltou uma espécie de sinalizador. Os bens deles foram bloqueados pela Justiça nesta terça-feira (29). O prefeito de Santa Maria, Cezar Schirmer (PMDB), disse não estar convencido de que houve falta de fiscalização nesse caso e que segue "a legislação em vigor no município".

— Quando a prefeitura tem conhecimento de qualquer irregularidade, nós tomamos providências. Por exemplo, não mais do que 15 dias, nós fechamos uma boate aqui em Santa Maria.

Ele afirmou que a emissão de um novo alvará de funcionamento do local estava em tramitação no Corpo de Bombeiros e não dependia da prefeitura.

— Na parte relativa à prefeitura, a boate estava rigorosamente regular.

 

  • Espalhe por aí:

Veja também

Todas as notícias
Publicidade

Vitrine de ofertas

Compartilhe
Compartilhe
Pacto de morte coletivo

Pais dizem que filhas não demonstraram variação no comportamento

  • Compartilhe no Facebook
  • Compartilhe no Twitter
  • Compartilhe no Google Plus
Compartilhe
Goiânia

Familiares de vítimas de serial killer ficam frente-a- frente com suspeito

  • Compartilhe no Facebook
  • Compartilhe no Twitter
  • Compartilhe no Google Plus
Compartilhe
Palmas (TO)

Suspeito de estuprar e matar mulher ri ao ser preso e debocha: “Saio em 3 meses”

  • Compartilhe no Facebook
  • Compartilhe no Twitter
  • Compartilhe no Google Plus
Compartilhe
Crime bárbaro

Mãe conta como matou a filha de 7 anos para ritual no PR; ossada é encontrada

  • Compartilhe no Facebook
  • Compartilhe no Twitter
  • Compartilhe no Google Plus
  • Últimas de Cidades

  • Últimas de Notícias

Compartilhe
Braço amputado

Tigre ataca menino de 11 anos em zoo do Paraná ; pai responderá por lesão

  • Compartilhe no Facebook
  • Compartilhe no Twitter
  • Compartilhe no Google Plus
X
Enviar por e-mail
(todos os campos marcados com * são obrigatórios)
Preencha os campos corretamente.
Mensagem enviada com sucesso!