Cidades

15/5/2013 às 12h11

Laudo confirma que leite adulterado no Rio Grande do Sul apresenta bactéria de esgoto

Análise entregue ao Ministério Público mostra que água tinha coliformes fecais

Do R7, com Fala Brasil

Empresas de transporte são acusadas de adulterar o produto cru Reprodução/ Rede Record

O caso do leite contaminado pode ser ainda mais grave. O resultado da análise entregue ao Ministério Público do Rio Grande do Sul (MP-RS) revelou que a água misturada à bebida tinha bactéria de esgoto.

Segundo o promotor de Justiça Mauro Rockembach houve uma dupla fraude, já que, além de substâncias como ureia e formol no leite, a água também era imprópria para consumo, ao apresentar coliformes fecais.

O poço em que a água é retirada fica numa propriedade em Ibirubá, no norte do Estado.

Leia mais notícias de Cidades



A fraude

No dia 8 deste mês, o MP-RS implantou a Operação Leite Compensado para investigar o esquema o esquema de adulteração de leite. As empresas transportadoras são acusadas de adicionar água e um composto com formol nos produtos com o objetivo de aumentar a quantidade de leite nos caminhões e, consequentemente, o lucro sobre o líquido cru.

O caso já soma sete marcas envolvidas, sendo todas de origem no Rio Grande do Sul. Sete pessoas suspeitas de envolvimento já foram presas. Um dos empresários detidos prestou depoimento ao Ministério Público nesta terça-feira (14), o primeiro testemunho desde o início do ocorrido.

Veja o vídeo:

 

  • Espalhe por aí:

Veja também

Todas as notícias
Publicidade
Compartilhe
X
Enviar por e-mail
(todos os campos marcados com * são obrigatórios)
Preencha os campos corretamente.
Mensagem enviada com sucesso!