Cidades

29/1/2013 às 21h52 (Atualizado em 29/1/2013 às 21h59)

Plano contra incêndio previa duas saídas de emergência para a boate Kiss

Brigada Militar afirmou, em nota, que a capacidade do local era para 691 pessoas

Agência Estado

Por meio de nota assinada pelo comandante Sergio Abreu, a Brigada Militar afirmou nesta terça-feira (29) que o PPCI (Plano de Prevenção e Proteção Contra Incêndio) da boate Kiss, que pegou fogo na madrugada do último domingo e matou 235 pessoas, informava que a casa noturna tinha duas saídas de emergência. Na prática, as pessoas que estavam no local tinham apenas uma porta para sair do local durante o incêndio.

O documento também afirma que a capacidade do local, de acordo com o mesmo plano de incêndio, era para 691 pessoas, e o ingresso de pessoas acima dessa capacidade é de responsabilidade dos proprietários, e exigiria revisão das saídas de emergência.

Mãe de vítima da Kiss fala em falta de fiscalização

Pneumonia química pode se manifestar até três dias depois da tragédia em Santa Maria

Veja a cobertura completa do incêndio que deixou centenas de mortos em Santa Maria (RS)

A nota também reforça que a hipótese de uso de efeitos pirotécnicos não foi solicitado junto ao Corpo de Bombeiros e que o pedido seria negado para o ambiente da boate Kiss. Além disso, segundo o comando da Brigada Militar, os proprietários da boate apresentaram ao Corpo de Bombeiros documentação em outubro de 2012 que comprova validade dos extintores de incêndio até outubro de 2013. No entanto, os bombeiros ressaltaram que troca de equipamento, falha, ou deficiência non manuseio serão questões analisadas pela perícia. 

  • Espalhe por aí:

Veja também

Todas as notícias
Publicidade
Compartilhe
X
Enviar por e-mail
(todos os campos marcados com * são obrigatórios)
Preencha os campos corretamente.
Mensagem enviada com sucesso!