Menos de 30% dos estudantes pobres no Brasil concluem o ensino médio 

Estudo identifica que a falta de interesse é o principal fator para evasão escolar 

Do R7

Jovens entrevistados não identificam que educação melhora a vida ThinkStock

Pouco mais da metade dos jovens brasileiros (58%) conclui o ensino médio. A informação surpreende ainda mais quando se percebe que enquanto 85% dos alunos mais ricos no País terminam essa etapa do ensino, apenas 28% dos jovens com menos recursos chegam ao mesmo resultado.

Os dados fazem parte de uma análise do BID (Banco Interamericano de Desenvolvimento) intitulada “Vamos lá, Brasil! Por uma nação de jovens formados”.

Saiba como o novo plano de educação pode beneficiar seu filho 

A partir de oito pesquisas domiciliares em países da América Latina, o BID identificou que a maioria dos estudantes entre 13 e 15 anos que não frequentam a escola apontam a falta de interesse nos estudos e a qualidade da educação como a principais razões para o abandono.

Além disso, segundo o relatório, os jovens entrevistados não estão convencidos de que a educação é um instrumento para que tenham melhores condições de vida.

Prevenção

Frente à situação, a análise do BID indica ser necessário que os gestores escolares e os professores identifiquem os jovens que apresentam desmotivação para os estudos.  

O documento destaca que a assiduidade, comportamento em sala de aula e aprovação nas matérias são termómetros para medir o interesse do estudante e sua pré-disposição à desistência.  

Leia mais notícias sobre Educação no R7 

Além disso, indica-se que, uma vez identificados em um aluno os “sintomas” que podem levar à evasão, é necessário abordar diretamente esses estudante para impedir uma possível desistência dos estudos.   

Na prática, isto significa que é necessário avaliar todos os dias os alunos que vão para a escola, saber por que eles não o fazem (quando não comparecem), e seguir o desempenho durante as aulas.

Exemplos

Uma vez identificados os problemas, os especialistas focados em dar atenção individual os possíveis desistentes podem colocar em ação intervenções apropriadas para cada aluno.

O relatório mostra que no México, por exemplo, o SIAT (Sistema de Alerta Precoce) permite que as autoridades de educação identifiquem os alunos em risco por meio do monitoramento de dados básicos como ausências e notas.

Na Argentina, a presidência e o ministério da Educação lançaram uma campanha de conscientização direcionada a estudantes do último ano do ensino médio. A ação, chamada Ponele título a tu secundario (Tenha o seu título da educação secundária) incentiva os alunos a zerar pendências e obter o diploma de ensino médio.

 

 

  • Espalhe por aí:
Publicidade

Twitter

X
Enviar por e-mail
(todos os campos marcados com * são obrigatórios)
Preencha os campos corretamente.
Mensagem enviada com sucesso!