Internacional

25/12/2012 às 15h00 (Atualizado em 25/12/2012 às 15h30)

Frio mata 123 pessoas na Rússia

No total, 833 pessoas precisaram ser hospitalizadas, entre elas 345 nas últimas 24 horas

Idoso recebe comida entregue por voluntários em Stavropol, na Rússia REUTERS/Eduard Korniyenko

A onda de frio que atinge a Rússia há mais de uma semana causou 123 mortes, mas perdeu força nesta terça-feira (25) no oeste do país, após temperaturas que atingiram -30° em Moscou e -60° na Sibéria.

"Desde o início da onda de frio, 123 pessoas morreram de hipotermia e por complicações de queimaduras", declarou uma fonte médica citada pela agência Interfax.

No total, 833 pessoas precisaram ser hospitalizadas, entre elas 345 nas últimas 24 horas, de acordo com a mesma fonte.

Veja a galeria do dia

Buenos Aires tem dia infernal com calor de 50º graus Celsius

Segunda-feira (24) à noite, um recorde de consumo de eletricidade foi registrado em Moscou e sua região, onde os termômetros marcavam -20º. A média para este período é de -8º, segundo o canal de televisão Moscou-24.

Ainda fazia -17 ° em Moscou na manhã desta terça-feira, mas o serviço de meteorologia anunciou a chegada de uma frente quente vinda do oeste e um aumento na temperatura, que deve chegar a 0° na quarta-feira na capital, com neve e chuva gelada.

Mais a oeste, a emissora do departamento de Situações de Emergência da região de São Petersburgo emitiu um alerta de tempestades de neve, com fortes rajadas de 10-13 m/seg.

O centro de meteorologia russo indicou, no entanto, em seu site que o frio intenso continuará a leste de Moscou.

As temperaturas na segunda-feira chegaram a -34° nos Urais, -42° em Tomsk (Sibéria), e até -59° em Yakutia (extremo nordeste da Sibéria), segundo o site meteoinfo.ru.

Na república russa de Tuva, no sul da Sibéria, foi declarado estado de emergência na segunda-feira em Khovou-Aksy, a 70 km de Kysyl, após uma pane que deixou sem aquecimento cerca de 4.000 pessoas, de acordo com o canal NTV.

Nesta terça, moradores de Khovou-Aksy, onde fazia -40°, ainda estavam sem aquecimento, enquanto os reparos na usina estão sendo prejudicado pelo congelamento.

As autoridades têm distribuído aquecedores portáteis entre a população, de acordo com a NTV. Moradores também foram alojados em escolas com aquecimento de emergência.

Na Ucrânia, nas regiões de Kiev e Poltava (leste), o intenso frio (-20°) da semana passada deu lugar a intensas nevascas que bloquearam várias estradas do país.

Cerca de 400 veículos foram soterrados pela neve nessas duas regiões.

Os termômetros marcavam 0° em Kiev nesta terça-feira, 5º em Lviv (oeste) e -12° em Donetsk (leste).

 

Quer ficar bem informado? Leia mais

O que acontece no mundo passa por aqui

 

  • Espalhe por aí:

Veja também

Todas as notícias
X
Enviar por e-mail
(todos os campos marcados com * são obrigatórios)
Preencha os campos corretamente.
Mensagem enviada com sucesso!