Tribunal russo libera ativista brasileira sob fiança, diz Greenpeace

Ana Paula Maciel foi detida quando protestava contra a exploração de petróleo no Ártico

As acusações de vandalismo e pirataria ainda não foram retiradas contra os ativistas
As acusações de vandalismo e pirataria ainda não foram retiradas contra os ativistas 18.11.13/OLGA MALTSEVA/AFP

A justiça russa liberou, nesta terça-feira (19), sob fiança, a bióloga brasileira Ana Paula Maciel, militante do Greenpeace detida durante uma ação da organização de defesa do meio ambiente no Ártico, anunciou a ONG no Twitter.

Ana Paula é a primeira ativista estrangeira liberada entre os 30 militantes detidos na ação, segundo a organização.

"Ana Paula Alminhana Maciel (BRA) será liberada sob fiança, segundo o tribunal de São Petersburgo", anunciou o Greenpeace na rede social, citando a decisão judicial. "Primeira não russa", completou.

De acordo com o Greenpeace, a gaúcha foi a quarta pessoa, dentre os 30 presos, a ter o pedido de fiança aceito. Ontem, o fotógrafo freelancer Denis Sinyakov, a médica Ekaterina Zaspa e o ativista Andrey Allakhverdov — todos russos - também ganharam liberdade.

Rússia pede prorrogação da prisão de brasileira e outros ativistas do Greenpeace

Paul McCartney pede a presidente russo que liberte brasileira e demais ativistas do Greenpeace

Ativista brasileira do Greenpeace é oficialmente acusada de vandalismo na Rússia

Já o tripulante australiano Colin Rusell teve a prisão preventiva estendida por mais três meses. Todos, porém, continuam sob as acusações de vandalismo e pirataria. O grupo foi preso no dia 19 de setembro, após um protesto pacífico contra a exploração de petróleo no Ártico.