Rodrigo Janot dá parecer favorável à volta do goleiro Bruno à prisão

Habeas corpus será analisado na próxima terça-feira (25)

Após ser solto, goleiro Bruno foi contratado pelo Boa Esporte, de Varginha (MG)
Após ser solto, goleiro Bruno foi contratado pelo Boa Esporte, de Varginha (MG) Alex de Jesus/Estadão Conteúdo

O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, apresentou, nesta quinta-feira (19), um parecer favorável à revogação da liminar concedida ao goleiro Bruno Fernandes, que possibilitou que ele deixasse o presídio no dia 24 de fevereiro. Caso o STF (Supremo Tribunal Federal) acate o entendimento de Janot, Fernandes pode voltar à prisão nas próximas semanas.

Relembre os acontecimentos do caso Eliza Samudio

Fernandes, que cumpria pena na Apac (Associação de Proteção e Assistência ao Condenado) de Santa Luzia, na Grande BH, foi solto após conseguir um habeas corpus do ministro Marco Aurélio Mello, do STF. Fernandes foi condenado a 22 anos e três meses de prisão, em 2013, pela morte da modelo Eliza Samudio – com quem tinha um relacionamento extraconjugal. Como o processo foi julgado em primeira instância, a decisão era passível de recurso. Assim, os advogados do jogador entraram com um pedido de reavaliação da pena, mas até hoje, o processo não foi julgado.

Minas Gerais se prepara para o desligamento do sinal analógico de TV. Saiba o que deve ser feito para receber o sinal digital.

Diante disso, Mello concedeu o habeas corpus ao goleiro alegando que ele não poderia estar privado de liberdade há mais de seis anos sem direito a julgamento definitivo. Porém, para a PGR, a defesa do jogador contribui para a demora do julgamento, já que os advogados fazem diversas intervenções nos autos do processo e atrasam os trâmites legais. Ainda segundo a procuradoria, Fernandes não cumpre prisão preventiva, como citado pelo ministro Marco Aurélio. Segundo o parecer, ele estava, a pedido da própria defesa, cumprindo a pena provisoriamente.

Nesta semana, o ministro Alexandre de Moraes assumiu a análise do processo do jagador

De acordo com o STF, o habeas corpus de Fernandes será julgado pelo Tribunal na próxima terça-feira (25). Caso o documento seja considerado inapropriado, o goleiro pode voltar à prisão. O R7 tentou contato com a defesa do jogador, mas até o momento, não obteve sucesso.