Brasil Bia Kicis assume a comissão mais importante da Câmara, a CCJ

Bia Kicis assume a comissão mais importante da Câmara, a CCJ

Na semana passada, a Justiça do DF indeferiu pedido contrário à posse da deputada aliada do presidente Jair Bolsonaro

Oposição acusa Bia Kicis de propagar fake news

Oposição acusa Bia Kicis de propagar fake news

Reprodução/TV Justiça

A deputada federal Bia Kicis (PSL-DF) assumiu nesta quarta-feira (10) a CCJ (Comissão de Constituição e Justiça) da Câmara, considerada a mais importante da Casa.

Em sessão bastante tumultuada, Bia Kicis foi eleita com 41 votos dos parlamentares. 

A oposição chegou a subir à mesa para determinar quem poderia ter direito a falar antes do início da votação.

Comandaram a oposição as deputadas FErnanda Melchionna (PSOL-RS) e Maria do Rosário (PT-RS). Fernanda chegou a dizer que Bia Kicis ataca constantemente a constituição brasileira, faz campanha contra o lockdown e sua eleição vai manchar a história da comissão mais importante da Câmara.

A sessão de votação sequer tinha um presidente definido, afinal Felipe Francischini (PSL-PR) já tinha seu mandato vencido.

Mauro Lopes (MDB-MG) assumiu o comando temporário por ser o mais velho da comissão, calando Francischini, que não estava presente e participava de forma virtual da sessão.

A Câmara instalou hoje todas as suas comissões.

Na semana passada, a Justiça Federal no Distrito Federal indeferiu o pedido da deputada Fernanda Melchionna contra a candidatura de Bia Kicis à presidência da CCJ. A ação foi arquivada.

Bia Kicis terá como função determinar se são ou não constitucionais os projetos que vão tramitar na Casa.

Aliada do presidente da República, Jair Bolsonaro, Bia Kicis já deu declarações polêmicas em seu mandato. É acusada de espalhar fake news e de fazer críticas duras ao STF (Supremo Tribunal Federal).

Dez comissões elegem seus presidentes na manhã desta quarta-feira (10):

- Agricultura, Pecuária, Abastecimento e Desenvolvimento Rural;

- Ciência e Tecnologia, Comunicação e Informática;

- Constituição e Justiça e Cidadania;

- Desenvolvimento Econômico, Indústria, Comércio e Serviços;

- Desenvolvimento Urbano;

- Educação;

- Finanças e Tributação;

- Fiscalização Financeira e Controle;

- Integração Nacional, Desenvolvimento Regional e Amazônia; e

- Trabalho, Administração e Serviço Público.

Últimas