Brasil Bolsonaro deve ficar 10 dias hospitalizado, diz cirurgião

Bolsonaro deve ficar 10 dias hospitalizado, diz cirurgião

Candidato do PSL fazia campanha no centro da cidade mineira quando foi atingido, segundo a polícia. Agressor foi preso pela Polícia Federal

Bolsonaro deve ficar 10 dias hospitalizado, diz médico que operou candidato

Imagem mostra atendimento a Bolsonaro em Juiz de Fora

Imagem mostra atendimento a Bolsonaro em Juiz de Fora

Reprodução

Após passar por cirurgia de duas horas que estancou uma grave hemorragia interna, o candidato à Presidência pelo PSL, Jair Bolsonaro, deve ficar de 7 a 10 dias hospitalizado, de acordo com o médico Luiz Henrique Borsato, que faz parte da equipe médica que operou o candidato nesta quinta-feira (6) na Santa Casa de Juiz de Fora, Minas Gerais.

Bolsonaro sofreu um ataque a faca na tarde de hoje quando participava de ato de campanha no centro de Juiz de Fora. Ele era carregado por apoiadores sobre os ombros e encerrava sua agenda na cidade, quando o agressor se aproximou e desferiu uma facada na região do abdômen.

De acordo com Borsato, o candidato do PSL sofreu um "traumatismo abdominal por arma branca", deu entrada com sinais de choque e foi submetido a uma cirurgia em caráter de urgência.

— Foi uma lesão única transfixante, mas muito profunda. Os órgãos nessa região ficam sobrepostos, e à medida que houve penetração no abdômen, foram ocorrendo as lesões.

O procedimento cirúrgico constatou uma "hemorragia volumosa", em razão do rompimento de uma veia do abdômen, que foi suturada, controlando a hemorragia.

Os médicos também identificaram três perfurações no intestino delgado, que foram suturadas e controladas. A equipe se deparou então com "uma lesão grave no intestino grosso, no cólon transverso, grande, extensa, com contaminação de fezes na cavidade interna".

Para essa lesão, os médicos decidiram realizar uma "colostomia em caráter temporário", quando uma bolsa plástica é adaptada à pele para coletar gases e fezes. Uma nova cirurgia deverá ser feita para retirar a bolsa. Não há prazo para isso acontecer.

De acordo com Borsato, a gravidade da lesão, a recente cirurgia e a colostomia inviabilizam, neste momento, que Bolsonaro mantenha sua campanha à Presidência.

— O paciente vai ficar pelo menos de uma semana a dez dias hospitalizado. Mas essa pergunta é subjetiva porque cada paciente reage de um jeito. (...) Nesse momento a cirurgia inviabiliza a campanha porque não temos previsão do tempo de hospitalização.

De acordo com o cirurgião, a recuperação "pode levar dias, semanas".

— Vai depender de como ele evoluir. Nessas primeiras horas após a cirurgia, a recuperação na unidade de terapia intensiva é satisfatória.

Borsato explicou ainda que não há prazo para retirar a bolsa colocada na cirurgia, mas que o tempo não deverá ser superior a dois meses.

— Quand o paciente estiver totalmente recuperado, ele tem que passar por nova cirurgia.

Transferência para São Paulo

De acordo com Cícero Rena, todas as lesões por arma branca trazem "risco" para a vida do paciente, mas ressaltou que o estado de saúde de Bolsonaro é estável no momento, com corção e respiração funcionando espontaneamente, e em estado lúcido.

Borsato afirmou que a Santa Casa de Juiz de Fora vai receber ainda hoje uma equipe de médicos do Hospital Sírio Libanès, de São Paulo, que vai acompanhar a recuperação do candidato. Ele não informou se a família cogita a transferência, mas que no momento não há condições de fazer nenhuma transferência.

— Tão logo haja condições [para transferência] e haja vontade da família, ele será transferido.

Veja o momento exato da agressão: