Brasil Bolsonaro passa por cirurgia após ataque a faca em Minas Gerais

Bolsonaro passa por cirurgia após ataque a faca em Minas Gerais

Candidato do PSL fazia campanha no centro da cidade mineira quando foi atingido, segundo a polícia. Agressor foi preso pela Polícia Federal

Bolsonaro passa por cirurgia após ataque a faca em Minas Gerais

Bolsonaro é retirado de local de campanha após agressão

Bolsonaro é retirado de local de campanha após agressão

Fabio Motta/Estadão Conteúdo - 06.09.2018

O candidato à Presidência Jair Bolsonaro (PSL) passa por cirugia na Santa Casa de Juiz Fora, após sofrer um ataque a faca durante ato de campanha no centro da cidade mineira, na tarde desta quinta-feira (6).

Em nota divulgada à imprensa, a Santa Casa informa que Bolsonaro deu entrada no hospital por volta das 15h40 "com uma lesão por material perfurocortante na região do abdômen".

"Ele foi atendido na urgência, passou por um exame de ultrassonografia e agora está no Centro Cirúrgico", diz a nota.

Um porta-voz da unidade de saúde informou que o candidato passa por um procedimento chamado "laparotomia exploratória", que investiga possíveis lesões no fígado e na alça intestinal. Não há previsão para o término da cirurgia.

Segundo um porta-voz da unidade, em relato publicado pelo jornal "O Estado de S. Paulo", se os ferimentos nos órgãos forem confirmados na cirurgia, o candidato pode ter sofrido lesões graves, com possivel sangramento interno.

Veja imagens do momento exato da agressão:

VÍDEOS MOSTRAM ATAQUE A BOLSONARO E RESGATE EM JUIZ DE FORA

O ataque

Bolsonaro estava sendo carregado por apoiadores pela rua Halfeld, no centro de Juiz de Foraquando foi atingido por uma faca, que aparentemente estava escondida sob um pano. O candidato foi retirado do local por apoiadores e levado por agentes da Polícia Federal, que faziam sua escolta, para a Santa Casa de Juiz de Fora.

Inicialmente, a Polícia Militar de Minas Gerais informou que o candidato não havia sido perfurado durante o ataque, mas a perfuração foi confirmada pela unidade de saúde.

Flávio Bolsonaro, um dos filhos do presidenciável, declarou também logo após a agressão que seu pai sofre uma estocada "superficial" e que "passa bem".

Em seguida, ele divulgou que a agressão foi mais grave do que se imaginava, atingindo fígado, pulmão e alça do intestino.

Os apoiadores de Bolsonaro imobilizaram e agrediram o suspeito, mas agentes de segurança o capturaram logo em seguida.

O agressor foi preso pela Polícia Federal e conduzido para a sede da PF no município. A PF abriu inquérito para investigar o caso.

Ele foi identificado pela Polícia Militar de Minas Gerais como Adélio Bispo de Oliveira, de 40 anos, natural da cidade de Montes Claros, no norte de Minas Gerais. 

Seu advogado, Pedro Oliveira dos Santos, disse em entrevista ao R7 que Adélio sempre lhe pareceu "um homem normal, calmo".

* com informações da Estadão Conteúdo