Brasil Bradesco, Itaú e Santander aderem a coalização em favor das florestas

Bradesco, Itaú e Santander aderem a coalização em favor das florestas

Bancos têm sido cobrados a negarem crédito para aqueles que desmatam ilegalmente ou tenham outras práticas nocivas ao meio ambiente

Agência Estado
Preservação ambiental está na pauta de governos e companhias mundiais

Preservação ambiental está na pauta de governos e companhias mundiais

Pixabay

Unidos pela pauta de combate à mudança climática, os concorrentes Bradesco, Itaú Unibanco e Santander assinaram a adesão à Coalizão Brasil Clima, Florestas e Agricultura. Em comunicado conjunto, os três maiores bancos privados do País afirmaram que o principal objetivo do movimento é implementar ações para promover um novo modelo de desenvolvimento econômico pautado pela economia de baixo carbono e, desta maneira, responder aos desafios das mudanças climáticas, possibilitando avanços concretos na agenda de clima e agropecuária no Brasil.

Fogo no Pantanal bate recorde em 9 meses e é o maior desde 1998

O anúncio ocorre em meio a uma maior cobrança pelo rastreio da cadeia da agropecuária e os bancos têm sido cobrados a negarem crédito para aqueles que desmatam ilegalmente a Amazônia, por exemplo. O rastreio eficaz e fiscalização são alguns dos desafios para se analisar toda a cadeia, do início ao fim.

A coalizão assinada por eles é um movimento multisetorial, composto por entidades que lideram o agronegócio no Brasil, as principais organizações civis da área de meio ambiente e clima, representantes do meio acadêmico, associações setoriais e companhias líderes nas áreas de madeira, cosméticos, siderurgia, papel e celulose, entre outras.

Bolsonaro diz que Brasil trata crime ambiental com 'tolerância zero'

Por meio desse grupo, a iniciativa busca oportunidades e sinergias entre a agropecuária e a agenda de proteção, conservação e uso sustentável das florestas para mitigar as mudanças climáticas.

Motivados pela cobrança cada vez maior por maior ativismo em questões ambientais, em julho as três instituições financeiras anunciaram a criação do Plano Amazônia, focando o desenvolvimento sustentável da região e a proteção da floresta.

Últimas