Corpo de vítima de acidente com jatinho continua no IML no sul da BA

Dois dias após a tragédia, a liberação ainda depende de exames. Nove pessoas que conseguiram escapar da aeronave estão internadas em Salvador

Jatinho pegou fogo depois de cair na Bahia

Jatinho pegou fogo depois de cair na Bahia

Reprodução

Permenece no IML (Instituto Médico Legal) de Ilhéus, no sul da Bahia, o corpo da mulher de 37 anos que morreu depois da queda de um avião de pequeno porte, em uma pista de um resort desativado em Maraú, na Bahia.

Ainda são necessários alguns exames, como o de arcada dentária, para a identificação oficial e a liberação do cadáver. Depois disso, o corpo será transferido para São Paulo.

Já os nove sobreviventes permanecem internados em hospitais de Salvador. A Secretaria de Saúde da Bahia não divulga o estado de saúde das vítimas, mas a maioria está internada no Hospital Geral do Estado, referência em queimaduras.

Três feridos, que estavam no Hospital Municipal de Salvador, foram transferidos para o Hospital Geral do Estado — um na quinta à noite e outros dois ontem pela manhã. Entre eles, está o ex-piloto da Stock Car, Tuka Rocha, de 36 anos, teve 80% do corpo queimado.

Acidente

Na quinta-feira (14), a aeronave de prefixo PT-LTJ decolou de Jundiaí, no interior de São Paulo, com destino Maraú, localidade distante 345 km de Salvador.

Testemunhas disseram que a aeronave, um bimotor Cesnna Citation 550, com capacidade para 9 pessoas explodiu logo após a queda.

De acordo com dados da Anac (Agência Nacional de Aviação Civil), a aeronave estava com o certificado de aeronavegabilidade em situação regular.

A aeronave é de propriedade do banqueiro José Abdalla Filho, que, contatado pela reportagem do R7, confirmou a informação e afirmou que ninguém da família estava a bordo.