Brasil Cristiane Brasil diz que não vai desistir de cargo no governo

Cristiane Brasil diz que não vai desistir de cargo no governo

Indicada para Ministério do Trabalho, deputada teve posse barrada na Justiça

Cristiane Brasil diz que não vai desistir de cargo no governo

Deputada vai aguardar decisão do STF sobre caso

Deputada vai aguardar decisão do STF sobre caso

Lúcio Bernardo Junior/Câmara dos Deputados - 4.5.2017

Com a nomeação suspensa para o comando do Ministério do Trabalho a deputada Cristiane Brasil (PTB-RJ) afirmou na tarde desta terça-feira (9) ao Broadcast Político, serviço de notícias em tempo real do Grupo Estado, que não há a possibilidade de ela desistir do cargo.

Ela disse que, em reunião com o presidente Michel Temer mais cedo no Palácio do Planalto, eles decidiram que vão aguardar julgamento pelo STF (Supremo Tribunal Federal) do recurso que o governo apresentará contra as decisões que suspenderam sua nomeação.

"Não é uma possibilidade", declarou, ao ser questionada se poderá desistir do cargo. Segundo ela, Temer não pediu para ela desistir do posto durante a reunião nesta terça-feira, da qual o presidente do PTB, o ex-deputado Roberto Jefferson, pai da deputada, também participou. "Foi o contrário", afirmou. Cristiane negou também que, durante o encontro, eles tenham discutido um novo nome para o cargo, caso ela seja impedida. "Vamos esperar o STF", declarou.

Nessa segunda-feira (8), o juiz federal Leonardo da Costa Couceiro, da 4ª Vara Federal de Niterói (RJ), suspendeu a nomeação de Cristiane Brasil para o cargo de ministra do Trabalho. A decisão do magistrado foi mantida nesta terça-feira pelo vice-presidente do TRF-2 (Tribunal Regional Federal da 2ª Região), desembargador federal Guilherme Couto de Castro. A AGU (Advocacia-Geral da União), por sua vez, anunciou que vai entrar com novo recurso contra a decisão, desta vez no STF.

A posse da deputada estava marcada para esta terça-feira. Como mostrou mais cedo o Broadcast Político, alguns convidados da deputada e de Roberto Jefferson estavam no Palácio do Planalto e aguardavam para participar da cerimônia, que estava agendada para 15h. O Salão Nobre estava inclusive já arrumado para o evento.